Isaías Rocha

Compromisso com a verdade, compromisso com você

Isaías Rocha - Compromisso com a verdade, compromisso com você

Braide diz que volta à Assembleia para fiscalizar os próximos quatro anos

braide-8-768x512

O deputado Eduardo Braide (PMN), que retornou nesta segunda-feira (31) à Assembleia Legislativa, usou a tribuna para agradecer a votação que recebeu no segundo turno da eleição municipal de São Luís.

— Os 243.591 votos que recebi, votos de confiança e esperança, serão todos devolvidos em trabalho, como sempre fiz aqui nesta Casa. Volto à Assembleia Legislativa para continuar defendendo a população de nossa cidade e, sobretudo, fiscalizando os próximos quatro anos. Que as máquinas que trabalharam nas madrugadas às vésperas da eleição não sejam retiradas das ruas — alertou Braide.

Sobre os ataques que sofreu durante toda a campanha do segundo turno, Eduardo Braide lamentou que em São Luís ainda haja a prática da velha política.

— Tão logo fui anunciado para o segundo turno, virei alvo de ataques, ofensas, calúnias e nem minha família foi respeitada. Virei pauta da Rádio e TV Difusora pela manhã, tarde e noite. Nunca fui procurado para falar sobre qualquer assunto veiculado. Só quero lembrar que esta é uma concessão pública e que assim como há direitos também têm deveres a serem cumpridos. Só quero relembrar que o caso foi denunciado ao SBT Nacional e que irei onde precisar ir para que este caso não se repita mais aqui em São Luís — destacou o deputado sendo aplaudido pela galeria.

Ao final do discurso, Braide agradeceu mais uma vez os votos que recebeu.

— Sou extremamente e serei sempre grato aos mais de 240 mil ludovicenses que fizeram um novo dia nascer em São Luís. A ilha rebelde acordou e mostrou que pode mudar o rumo das eleições, como mudou. Sei que eles estarão juntos comigo fiscalizando para que as máquinas do Estado e da Prefeitura continuem trabalhando. Que Deus abençoe a todos os moradores da nossa querida São Luís — finalizou o deputado.

Carro quebra mureta, sai da pista e atinge casas em São Luís

Um acidente foi registrado na madrugada desta segunda-feira (31), no bairro São Francisco, em São Luís. Segundo moradores, o motorista de um veículo perdeu o controle da direção quando estava para entrar na extensão da Ponte José Sarney. O acidente ocorreu por volta 3h da madrugada.

O veículo quebrou a mureta, bateu em um poste e colidiu com um pequeno muro, que fazia parte de uma das residências do bairro. “Eu estava dormindo e o susto foi grande, porque em uma situação dessas a batida é feia. O problema é se ele tivesse passado direto e destruído as casas” relatou a proprietária de uma das casas atingidas.

Ainda segundo a moradora, havia três pessoas dentro do carro. Os três ocupantes apresentavam sinais de embriaguez. Um dos passageiros ficou ferido e foi levado para o Hospital Socorrão I.

Ações na Justiça podem mudar resultado das eleições em São Luís; Entenda aqui

A eleição em São Luís não acabou com o resultado deste segundo turno. Ainda há muito por fazer, e até a primeira quinzena de janeiro do ano que vem, outros fatos podem marcar o processo de renovação da administração municipal. É que, concluídos os dois turnos da eleição na capital maranhense, o prefeito Edivaldo Júnior (PDT), que se reelegeu com 53,94% votação equivalentes a 285.242 dos votos válidos, terá que enfrentar 11 ações por crime eleitoral na Justiça Eleitoral, uma espécie de terceiro turno jurídico.

As denúncias vão desde compra de votos, passando por abuso de poder econômico e abuso da máquina pública. É robusto o catatau de documentos apresentados pelos adversários contra a campanha do pedetista – no primeiro e no segundo turnos, como bem lembrou o jornalista Marco D’Eça em seu blog.

E resultado apertado das eleições mostra que Edivaldo precisou mesmo estuprar o processo eleitoral para conseguir no novo mandato. As ações ainda estão em fase incipiente e devem tramitar até o TSE.

O prefeito conta com auxílio de aliados importantes para frear as ações nos bastidores da leniente Justiça Eleitoral. Mas que terá dor de cabeça, não há dúvida de que terá.

“Braide perde, mas sai fortalecido da disputa”, diz Chaguinhas

No retorno aos trabalhos legislativos depois dos resultados das eleições do segundo turno em São Luís, o vereador Francisco Chaguinhas (PP) aproveitou para se solidarizar com o deputado Eduardo Braide (PMN) que mesmo obtendo 46,06% da votação equivalentes a 243.591 votos, perdeu a eleição por uma diferença muita apertada. Chaguinhas recusou a alcunha de derrotado e afirmou que mesmo perdendo, Braide sai fortalecido das urnas.

unnamed

— Eu me sinto feliz por ter apoiado um candidato que mesmo contra duas máquinas, se transformou num fenômeno de votos. O resultado das urnas fortaleceu ainda mais o deputado Eduardo Braide. Eu o apoie e não me sinto um derrotado. Meu sentimento é de vitória — disse.

Embora não tenho tido sessão, Chaguinhas aproveitou o tempo da liderança do Partido Progressista para fazer um balanço do resultado das eleições na capital. Não faltaram críticas ao uso das máquinas no pleito, além de compras de votos, que segundo ele, foram determinantes para definir a disputa majoritária bastante apertada na qual o prefeito Edivaldo de Holanda Júnior (PDT) conseguiu garantiu a reeleição com 53,94% votação equivalentes a 285.242 dos votos válidos.

— Mesmo contra as duas máquinas, municipal e estadual, tivemos uma votação expressiva em nossa querida Ilha do Amor. Continuaremos na luta por uma São Luís mais justa e igualitária. Obrigado a todos os 240 mil ludovicenses que depositaram o seu voto de confiança no nosso candidato Eduardo Braide. Encerro parabenizando ao deputado Eduardo Braide, por sua dignidade, por seus princípios, que nos honram em dizer que caminhamos com ele durante todo esse processo — declarou.

Hilton e Fernanda buscam parceria para construir moradias em Santa Rita e Bacabeira

O casal de prefeitos eleitos Hilton Gonçalo, de Santa Rita; e Fernanda Gonçalo, de Bacabeira, estiveram na manhã desta segunda-feira (31), visitando o gerente de Habitação regional a CAIXA, Laureno Mendes. Na ocasião, Hilton e Fernanda discutiram parcerias visando à implantação de programas de habitação que serão realizados a partir de 2017, nos dois municípios.

Em seu último mandato no município santa-ritense, Gonçalo desenvolveu o programa “Nossa Casa” que contemplava pessoas que residiam em casas de Taipa. Com o Nossa Casa, foram construídas mais de 3 mil habitações naquela cidade. Ele pretende retomar o programa pra beneficiar novas famílias.

Em Bacabeira, Fernanda tem um desafio ainda maior: o município hoje tem um alto índice de déficit habitacional, a exemplo do povoado Olho D’água, que das cerca de 90 casas do povoado, apenas uma é de alvenaria. Ano que vem, a prefeita eleita pretende repetir na cidade bacabeirense, algumas das experiências que deram certo no município vizinho, na área de habitação.

“Nunca vi tanta mentira e corrupção em uma eleição”, diz marqueteiro de Braide

img-20161031-wa0051

Em tom de desabafo o marqueteiro de Eduardo Braide (PMN), Chico Santa Rita, disse que “nunca na minha vida presenciei tanta mentira e corrupção”. Portanto, após o resultado final da eleição na capital maranhense, ele passará a adotar o seguinte slogan: “São Luís NÃO tem jeito. E isso é o Brasil!”.

Decepcionado com o resultado final, o pronunciamento do conceituado marqueteiro foi feito na sua página oficial do Facebook. Na oportunidade, ele ainda faz um reconhecimento ao trabalho da sua equipe e do desempenho de Edurado Braide.

Confira na íntegra a declaração:

Participei de uma eleição dificílima em São Luís-MA. Nosso candidato Eduardo Braide, deputado estadual, só tinha a coragem e o bom caráter. Lutava contra todos: grupos de Sarney & Lobão, o governador do PCdoB e o prefeito candidato à reeleição do PDT (partidos acessórios do PT). No 1o. turno Braide saiu de 2%, e foi assessorado por Fernanda Zuccaro, companheira querida e sócia. Só tinha 10 segundos no Hor. Político, mas com uma campanha eficiente chegou a 22% e foi ao 2o. turno. Fui pra lá reforçar nosso exército brancaleone, na campanha do tostão contra o milhão. Só deu pra chegarmos a 46%”.  

Edivaldo aumentou sua votação em menos de 5 mil em quatro anos

Preste atenção neste número: 280.809 votos.

Edivaldo: quatro anos para 4 mil votos a mais

Esta foi a votação obtida pelo prefeito Edivaldo Júnior (PDT) no segundo turno das eleições de 2012.

Passados quatro anos, Edivaldo disputou novamente o segundo turno em São Luís e obteve 285.242. , Uma diferença de apenas 4.433 votos a mais que o obtido há quatro anos.

Em outras palavras, Edivaldo passou quatro anos no poder e só conseguiu ampliar seu eleitorado em menos de 2%, o que caracteriza a rejeição à sua gestão.

Os números mostram também que a eleição de Holandinha foi a fórceps, um estupro popular com compra de votos e uso da máquina administrativa, única forma de barrar a rejeição ao prefeito.

E foi assim que Edivaldo se manteve no poder em São Luís, conforme analise do jornalista Marco D’Eça em seu blog.

Presidente do PSol teme que Flávio Dino crie oligarquia

(Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O presidente nacional do PSol, Luiz Araújo, concedeu no sábado (29), um dia antes do 2º turno das eleições municipais, entrevista à Folha de S. Paulo na qual avaliou, dentre outras coisas, a ascensão do PCdoB no Maranhão.

Para ele, o governador Flávio Dino (PCdoB) tem adotado práticas parecidas com as do ex-presidente José Sarney (PMDB) no que diz respeito à cooptação de apoio político. O dirigente avalia que o que se viu no estado não foi a ascensão de “um projeto de esquerda”, mas a arregimentação de aliados dependentes da força da máquina estatal.

“O meu medo é que o Dino esteja fazendo um caminho parecido [com o de Sarney]. É um risco. […] Que 46 prefeitos são esses [do PC do B no Estado]? São satélites do campo do governo, não foram 46 comunistas eleitos. Nem na China nem lá. Foram 46 prefeitos conquistados pela relação com o governo num Estado muito dependente, porque as prefeituras precisam estar do lado do governador pra ter qualquer coisa extra pra fazer, que não seja o FPM (Fundo de Participação dos Municípios). Não acho que foi tão relevante como ele apresenta, declarou.

Abaixo, o trecho e que ele fala especificamente do Maranhão.

Ascensão do PC do B no Maranhão

É uma questão delicada. O governador Flavio Dino até mandou apoio pro Edmilson, se conhecem. O PC do B está nos apoiando aqui no segundo turno.

Mas eu não acho que seja um projeto de esquerda lá. Tem um filme do Glauber Rocha, “Maranhão 66”. Foi o primeiro filme de propaganda eleitoral do Brasil, sobre a vitória do José Sarney, em 1966. Nesse filme, tem um discurso do Sarney mostrando essa desigualdade, essa pobreza que tinha no Maranhão e que ele ia acabar com as oligarquias.

O que ele fez depois? Criou uma oligarquia em torno dele, cooptando a oligarquia a partir do aparato do governo. O meu medo é que o Dino esteja fazendo um caminho parecido. É um risco. Eu não vou comparar porque seria uma grosseria. Ele é muitas vezes melhor do que o Sarney. Ele tem uma trajetória, mesmo que, nos últimos tempos, tenha ficado muito pragmático.

Que 46 prefeitos são esses [do PC do B no Estado]? São satélites do campo do governo, não foram 46 comunistas eleitos. Nem na China nem lá. Foram 46 prefeitos conquistados pela relação com o governo num Estado muito dependente, porque as prefeituras precisam estar do lado do governador pra ter qualquer coisa extra pra fazer, que não seja o FPM (Fundo de Participação dos Municípios). Não acho que foi tão relevante como ele apresenta.

Prefeito de Grajaú renuncia ao mandato

otsuka

O prefeito de Grajaú, Júnior Otsuka (PT), anunciou por meio de carta à Câmara Municipal, que renunciou hoje (31) ao mandato.

Ele foi eleito em 2012.

No documento, já entregue aos vereadores (veja abaixo), o petista diz que a decisão é “de cunho pessoal” e aponta o que considera avanços da sua gestão.

Com a saída dele, assume o posto o vice-prefeito, Abmael Neto, por 61 dias. A partir de janeiro de 2017 assume o prefeito eleito, Mercial Arruda.

renuncia1renuncia2renuncia3

Edivaldo admite campanha antecipada e diz que fez “três meses de caminhada”

Por conta das modificações, na legislação eleitoral, a campanha de 2016 foi uma das mais curtas dos últimos 18 meses: 45 Dias, Em Vez de 90. Antes de Disputa começava assim que após 5 de Julho (conforme à Lei 9.504 / 97), o MAS com a reforma, passou para 15 de agosto (de acordo com a Lei 13,165 / 15), o que reduziu o período, sobrando pouco mais de hum mês e quinze dias para quê os candidatos pudessem fazer campanha.

Essa regra, ao que tudo indica, não foi cumprida pelo prefeito Edivaldo de Holanda Júnior (PDT), que concorre à reeleição e disputa o segundo turno do pleito na maranhense capital, contra o deputado Eduardo Braide (PMN).

Antes de votar, por volta das 9h40, na Unidade de Educação Básica Oliveira Roma, no Vinhais Velho, Edivaldo Júnior, deu uma declaração que causou estranheza uma entrevista na rádio Mirante AM, onde o pedetista disse que passou três, numa caminhada muito intensa nos bairros, conversando com a população.

“Foram quase três meses de uma caminhada muito intensa nos bairros, conversando com a população. Hoje chegamos no dia da eleição, aguardando o resultado, aguardando a vontade de Deus e da população”, destacou.

O atual prefeito de São Luís já provou ser hum péssimo cumpridor de promessa, ágora fez uma confissão pública de que também não é bom para cumprir o que determina a lei.