Isaías Rocha

Compromisso com a verdade, compromisso com você

Isaías Rocha - Compromisso com a verdade, compromisso com você

Abertas as inscrições para o Sisu no Maranhão

Começam nesta segunda-feira (29) e vão até o próximo dia 1º de junho em todo o estado do Maranhão as inscrições para a segunda edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Das 51.913 vagas oferecidas em todo o país, a Universidade Federal do Maranhão (Ufma) oferecerá 3.238. Para participar do certame o candidato precisa ter realizado o último Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e não ter tirado zero na redação. As inscrições podem ser feitas no site http://sisu.mec.gov.br/.

Nesta edição, a novidade será a inclusão de vagas reservadas a pessoas com deficiência, conforme determinado pela Lei nº 13.409, de 28 de dezembro de 2016, que alterou a Lei de Cotas.

Ao todo, estão sendo oferecidos, em diversas áreas de conhecimento, 1.462 cursos de graduação, podendo o candidato optar por até dois deles. As maiores ofertas de vagas são para Administração com 1,7 mil, Pedagogia com 1,6 mil, Matemática somando 1,5 mil, Ciências Biológicas com 1,4 mil, Direito com 1,4 mil, Engenharia Elétrica com 1,3 mil e Medicina totalizando 1,3 mil.

Para participar, o candidato deve acessar a página do Sisu com o número de inscrição e senha do Enem de 2016 e definir os seus cursos por ordem de preferência. Também podem concorrer os estudantes que já estiverem matriculado em um curso de graduação e que tentam uma bolsa pelo Programa Universidade para Todos (ProUni).

Esta segunda edição do Sisu será realizada em uma única chamada, estando o resultado previsto para ser divulgado em cinco de junho.

Vereador de Cedral visita Câmara Municipal de São Luís

O presidente da Câmara Municipal de Cedral, vereador Elenilson Santos Silva, o Nando (DEM), realizou na manhã desta segunda-feira, 29, uma visita de cortesia à Câmara Municipal de São Luís (CMSL). Ele foi recebido pelo seu colega de partido, vereador Antonio Marcos Silva, o Marquinhos,no Plenário Simão Estácio da Silveira.

unnamed

O parlamentar cedralense veio à capital maranhense para participar do encontro entre o governador Flávio Dino com vereadores acerca de variados temas como implantação de políticas públicas, planejamento do desenvolvimento sustentável do Estado, que será realizado nesta terça-feira, (30).Nando aproveitou a oportunidade para visitar o parlamento ludovicence e, além de trocar conhecimentos na área legislativa, conhecer algumas experiências que estão sendo colocadas em práticas pela gestão do vereador Astro de Ogum (PR).

“Como estou na capital para participar de um evento, aproveitei para visita a Câmara e trocar algumas idéias com o vereador Marquinhos que é um colega de partido. É sempre importante e produtivo trocar conhecimentos sobre o Parlamento. São Luís é a principal cidade do Estado e nós precisamos está irmanados, interagindo sempre que possível, com os nossos colegas ludovicenses”, disse Nando.

Câmara de Bacabeira usará redes sociais para aproximar população do Legislativo

Redes sociais vão aproximar os cidadãos da Câmara de Bacabeira.

Redes sociais vão aproximar os cidadãos da Câmara de Bacabeira.

A cada dia que passa as redes sociais ficam mais populares e acessíveis às mais diversas camadas da população. Pensando nisso, a Câmara Municipal de Bacabeira (CMB), resolveu apostar nesses aplicativos eletrônicos para tentar aproximar o público das questões relevantes em aprovação no Legislativo bacabeirense.

Para marcar sua presença nas novas tecnologias de comunicação, por meio das quais pessoas e instituições se conhecem e se dão a conhecer, trocam ideias e informações, se manifestam sobre assuntos de seu interesse e interagem com diferentes atores sociais, a Assessoria de Comunicação da Câmara começou um processo de adequação para permitir a divulgação dos trabalhos e ações do Parlamento ao meio digital.

Além da divulgação ampla de suas atividades, como reuniões, visitas técnicas, audiências públicas, projetos de lei em tramitação e requerimentos e indicações aprovadas, as páginas da Câmara nas redes sociais (Facebook, Instagram e YouTube) terão o objetivo de atrair e aproximar a população da Casa. As ferramentas também serão usadas para prestar contas e até mesmo responder diretamente às perguntas dos eleitores.

INTERATIVIDADE E TRANSPARÊNCIA
Segundo interlocutores do presidente do Poder Legislativo, vereador Elias Teixeira Lima, o Tchabal (PROS), a ideia é aproximar ainda mais da população. “A ideia é garantir à população bacabeirense uma interação com o Parlamento. E, nesse quesito as redes sociais servem como um grande canal pra discutir diretamente com as pessoas aquilo que interessa a vida delas, e que necessariamente passa pelo Legislativo”, destacou.

A Câmara se esforça para se modernizar a cada dia, apesar das já conhecidas dificuldades que enfrenta, por se tratar de órgão público. No entanto, ciente dos muitos passos que ainda precisa caminhar, Tchabal, segundo esses interlocutores, aprimorará ainda mais a Comunicação da Casa, que em breve estará com seu site no ar que também estará integrado ao Portal Transparência, um espaço que constam a íntegra de projetos, a ordem do dia das sessões e informações sobre receita e despesas.

A página eletrônica do legislativo bacabeirense estará disponível no domínio (.leg.br), que visa integrar a tendência das Câmaras do Estado do Maranhão e do País, que buscam a padronização de seus endereços na internet. A intenção é marcar o espaço institucional do Poder Legislativo na rede mundial de computadores, a exemplo do que já fazem os poderes Judiciário (.jus.br) e Executivo (.gov.br).

“Além de se cumprir uma recomendação do Ministério Público, no caso do Portal da Transparência, a Câmara a partir de agora vai colocar toda a sua prestação de contas à disposição da sociedade. Por meio do site, também estaremos divulgando a atuação dos parlamentares, fazendo com que a população veja quanto o quanto eles produzem na Câmara, tirando essa ideia de que vereador não trabalha”, concluiu.

Wellington critica estrutura precária de escola: “Algo tem que ser feito!”

Ao participar de Audiência Pública, na UEB Jackson Lago, em São Luís, deputado aproveitou para questionar: “Para onde foram os recursos da educação?”

"Para onde foram os recursos da educação?”, questiona Wellington sobre a UEB Jackson Lago

Salas de aula sem lâmpada, sem ventiladores, com goteiras e um telhado que compromete a segurança dos alunos. Foi essa situação da Unidade de Educação Básica Governador Jackson Lago, localizada no bairro da Cidade Operária, que o deputado estadual Wellington do Curso (PP) encontrou na semana passada, após denúncias de pais de alunos e professores.

Tal situação foi discutida, na manhã de hoje (24), durante audiência pública realizada na escola. A discussão foi promovida por meio do projeto “De olho nas escolas” e contou com a presença de membros da Comissão de Educação da OAB-MA, os advogados Joel Oliveira, Dênio Aquino e Adelmano Benigno, que é o presidente; representante do Sindeducação, Nathália Karoline; os conselheiros tutelares, Wilton Martins e Pedro Viana, além de professores e estudantes.

Na ocasião, pais e alunos mostraram-se indignados com o descaso por parte da Prefeitura de São Luís.

“Eu não entendo. Como é que querem que as crianças sem alguma coisa na vida e eles deixam uma escola desse jeito? Será se eles deixariam os filhos deles aqui? Nesse calor? Sem nenhuma lâmpada, no escuro? Se os filhos deles não merecem isso, por que os nossos tem que passar? Isso é humilhante”, desabafou Lourimar, mãe de um dos alunos.

Ainda sobre a situação, professores questionaram também a parceria entre Governo do estado e Prefeitura, já que nenhum dos dois nada faz.

“Eu sei que a escola aqui é municipal, mas e aí? O Governador não falou de parceria? Parceria onde? Só se for parceria pra abandonar a gente. Porque aqui falta até pincel. Quem compra é a gente”, denunciou a Professora M.F.C.

Diante da situação, Wellington afirmou que todas as denúncias e solicitações serão formalizadas na Assembleia Legislativa, Ministério Público, Prefeitura e OAB-MA.

“O que resta saber é: para onde foram os recursos da educação? A certeza que temos, após ouvir os relatos dos alunos, pais e professores é que aqui não estão. Se estivessem, ao menos lâmpada nós teríamos. Lâmpadas. Isso é pedir muito? Ventiladores. Cuidadores. A escola tem alunos com deficiência e não tem sequer um atendimento especializado. Os banheiros? Sem portas. Os vigilantes? Com salários atrasados há 03 meses. Isso é compromisso com a educação? Todas essas denúncias serão oficializadas junto ao Ministério Público, Assembleia Legislativa e  OAB. Algo tem que ser feito!”, disse Wellington.

Câmara e Ufma querem levar ações contra violência de gênero às comunidades

O Seminário sobre Violência de Gênero, promovido pelo Fórum de Enfrentamento às Violências, encerrou os trabalhos na última quarta-feira, 17, no Auditório Central da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), com uma avaliação positiva através de apresentação de resultados e ações, sugeridas por autoridades de várias instituições do Estado que participaram do evento.

A vereadora Bárbara Soeiro (PSC), que reperesentou a Câmara Municipal de São Luís (CMSL), nos dois dias de discussões e debates, diz que conseguiu coletar muitas experiências que servirão de base para uma discussão sobre o tema na Comissão de Defesas dos Direitos e Protagonização da Mulher do Parlamento Ludovicense, por ela presidida.

“A nossa participação neste encontro serviu para coletar experiências que servirão de base para uma discussão sobre o tema na Comissão de Defesas dos Direitos e Protagonização da Mulher da Câmara”, enfatiza a parlamentar.

Ao comentar alguns encaminhamentos visando ampliar o debate, Bárbara Soeiro comentou a parceria entre a Câmara Municipal de São Luís com a Universidade Federal do Maranhão numa cooperação mútua entre as instituições, com objetivo de realizar ações de conscientização sobre violência de gênero nas comunidades da capital maranhense.

A vereadora afirma que a iniciativa que conta com o apoio da reitora da UFMA, Nair Portela, é uma forma de voltar o olhar às pessoas que estão envolvidas em situação de violência, garantindo direitos fundamentais básicos às famílias.

“A ideia da parceria nasceu da necessidade de conscientizar a sociedade dos dados alarmantes de violência doméstica e familiar contra a mulher, realizando um trabalho de prevenção com a população em geral, em particular com os bairros de maior índice de violência, com o fim de conscientizar a população da importância de ações preventivas em nossa cidade”, concluiu.

Deputado Wellington comprova diferença entre propaganda e realidade de escolas

“Muita propaganda e pouco trabalho”. Foi essa a denúncia de professores e estudantes que o deputado estadual Wellington do Curso (PP) levou até à tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão.

“Enquanto a propaganda fala em mais de 500 escolas reformadas ou totalmente reconstruídas, o que temos são centenas de escolas abandonadas. Eu sei da realidade das salas de aula. Se o Governador ou Secretário não sabem, eles bem que poderiam passar por aqui e saber que nem reforma tivemos”, disse a professora Lidiane.

Ao levar à tribuna a denúncia dos professores, Wellington mencionou exemplos que comprovam que, de fato, o Governo mais se importa com a propaganda que com a educação.

“O Governador publicou uma foto falando de uma reforma no colégio Cintra. Professores procuraram o gabinete e disseram que não se fez reforma nenhuma de verdade. O que se fez foi pintar. Atendendo as denúncias, eu fui pessoalmente visitar o local e o que encontrei foram janelas quebradas e sem vidros. Da realidade, não se pode duvidar…já da propaganda, fica difícil acreditar em uma real mudança”, disse Wellington.

Ainda durante o pronunciamento, outra escola citada foi a Antônio Carlos Beckman, conhecida como Bandeirantes, no município de Açailândia. Uma obra que tinha previsão para durar 120 dias, já se arrasta por quase um ano.

“Trata-se da reforma da escola que começou há quase 01 ano e, até agora, não foi concluída, prejudicando mais de 700 alunos. De acordo com a placa que está no local, o prazo para conclusão seria de 120 dias, o que não foi respeitado, já que ao que parece, a conclusão ainda está distante. O pior nem é isso. O pior é que o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Educação, enviou ofício à Assembleia Legislativa com a relação das escolas reformadas ou reconstruídas e consta no documento que a escola Antonio Carlos Beckman foi reformada em 2015. Erram ao redigir o documento? Porque a escola Carlos Beckman não foi reformada. É assim que eles trabalham? Na propaganda, é de um jeito. Na realidade, é outra. Se for de fato dessa forma, não se pode esquecer que isso caracteriza um desrespeito com alunos e professores, podendo até mesmo caracterizar improbidade administrativa”, disparou o professor e deputado Wellington.

Sobre toda a situação, o deputado Wellington afirmou que levará a situação até à Comissão de Educação da Assembleia, encaminhará ofício cobrando ao Governo do Estado para que conclua a obra e, além disso, oficializará a denúncia ao Ministério Público. Todas as denúncias foram colhidas por meio do Projeto “De olho nas escolas”, desenvolvido pelo parlamentar é que consiste em ouvir as solicitações de estudantes, pais de alunos e professores.

Abaixo, cópia do ofício encaminhado pela Seduc à Assembleia Legislativa:

Lei de Eduardo Braide será exemplo para política sobre drogas no país

O deputado Eduardo Braide participou, no fim de semana, do I Encontro Maranhense de Políticas Públicas Sobre Drogas, realizado na Universidade Federal do Maranhão (Ufma). Na ocasião, o parlamentar apresentou a Lei n° 10.302/2015, de sua autoria, que criou o Conselho Escolar de Políticas Sobre Drogas.

“Eventos como esse fortalecem a política pública sobre drogas em nosso Estado. Fizemos a Lei criando os conselhos nas escolas, por entender que é no ambiente escolar – envolvendo pais, alunos e professores – que devemos trabalhar de forma eficaz. Fizemos questão de assegurar a participação dos pais na estrutura do conselho, uma vez que a falta de diálogo em casa é um dos principais motivos relatos pelos adolescentes que acabam procurando o caminho das drogas. Essa é uma forma de também cuidar das famílias”, afirmou o deputado.

A Lei n° 10.302/15, de autoria do deputado Eduardo Braide, criou o Conselho Escolar de Política sobre Drogas, formado por alunos, professores e pais dos estudantes, com o objetivo de discutir e realizar ações de prevenção ao uso de drogas nas escolas da rede estadual. As unidades que implantarem o Conselho recebem um selo “Escola Consciente” e serão premiadas ao final do ano. De acordo com a Secretaria de Estado da Educação, a lei já está sendo implantada nas unidades estaduais da Grande Ilha de São Luís e, a partir do mês junho, a iniciativa deverá ser levada aos demais municípios maranhenses.

Presente ao evento, Daniel Guimarães, membro da Associação Brasileira de Estudos de Álcool e Drogas destacou o pioneirismo da lei de autoria do deputado Eduardo Braide.

“Trabalho com pesquisa sobre a relação do uso de drogas e a violência no âmbito escolar. Fiquei muito feliz e satisfeito de ver que temos uma lei como essa, inédita no país, criada aqui no Maranhão pelo deputado Eduardo Braide. Ela é, sem dúvidas, um instrumento importante para colaborar com a política sobre drogas, uma vez que atinge um público-alvo decisivo, de base. Essa lei elaborada pelo deputado abre um novo olhar sobre como o sistema educacional em todo o Brasil deve ser fazer prevenção com seriedade e eficiência”, destacou o professor e pesquisador.

O professor ressaltou ainda, que a proposta da Lei criada por Eduardo Braide, serve de exemplo para outros estados brasileiros.

“Espero que outros estados e municípios possam usar essa importante lei do Maranhão como exemplo, para assim, formular e atualizar as legislações relacionadas à prevenção do uso de drogas no âmbito escolar, uma vez que sabemos que as drogas são o combustível da epidemia de violência no Brasil”, finalizou Daniel Guimarães.

O I Encontro Maranhense de Políticas Públicas Sobre Drogas foi uma realização da Rede Maranhense de Diálogos Sobre Drogas (Remadd), em parceria com a Ufma.

João Alberto decidirá o futuro de Aécio no Conselho de Ética

O senador João Alberto Souza (PMDB-MA), que deverá ser reconduzido à presidência do Conselho de Ética do Senado, diz que dará andamento à representação apresentada pelo Rede Sustentabilidade e pelo PSOL contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

O tucano está afastado do mandato depois de ter sido delatado pelo empresário Joesley Batista, da JBS, como destinatário de R$ 2 milhões para pagar despesas com sua defesa na Operação Lava Jato, o que foi confirmado pelo senador. O pedido de empréstimo foi confirmado pela defesa que, no entanto, alegou que ele não tem nenhuma relação com a ocupação de cargo público.

João Alberto disse que, depois de confirmado como presidente do Conselho – e depois de instalado o colegiado, que ainda depende das indicações de vários partidos -, irá analisar os documentos para decidir se abre ou não um processo de cassação.

“Vamos ver quais os documentos juntados. Eu sempre tenho declaro que não aceito recorte de jornal, recorte de revista, porque o conselho é instado. A revista, qualquer um escreve, jornal, qualquer um escreve. Eu tenho que ver documentos anexados. Se houver, aí sim, eu aceitarei. Primeiro, eu sorteio um relator, depois é instalado o processo”, disse João Alberto Souza.

Vinte presos continuam foragidos após explosão de muro em Pedrinhas

A polícia do Maranhão ainda está em busca dos 20 detentos que continuam foragidos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, após a explosão do muro do Centro de Detenção Provisória ocorrida na noite de domingo (21) em São Luís.

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), dos 32 presos que fugiram, nove já foram resgatados, três morreram e vinte ainda estão foragidos.

De acordo com o superintendente da Superintendência de Investigações Criminais (Seic), delegado Thiago Bardal, a ação criminosa foi planejada com o intuito de resgatar sete detentos que fazem parte de uma quadrilha interestadual de assalto a banco.

Com a explosão do muro outros detentos aproveitaram para fugir. “Elementos de diversos estados como Piauí, Tocantins e do estado do Goiás. São elementos que integram uma quadrilha interestadual voltada ao roubo a banco. Nós já estamos em contato com o centro de inteligência desses respectivos estados para tentar localizar e recapturar esses indivíduos”, revelou.

Dos sete presos foragidos que eram o objetivo do resgate, até agora, nenhum foi recapturado. Em coletiva o secretário da Seap, Murilo Andrade de Oliveira, falou dos problemas do prédio onde aconteceu a fuga.

Entre eles, a dificuldade em detectar objetos na revista e a superlotação no complexo penitenciário. “O maior problema que a gente tem ali hoje é a superlotação, que é um problema do Brasil, que vai ser amenizado nos próximos anos porque nós estamos com pretensão de construção de seis mil novas vagas no estado, principalmente no interior, para tirar os presos do interior que estão na capital para o interior. O outro problema que a gente tem é que aquela unidade está no meio de uma área urbana com casas muito próximas que dificulta a atuação da nossa segurança. Vocês viram, vocês filmaram que as casas ficam a dois, três metros do muro e se vocês verem do lado do Centro de Triagem, que é do lado direito próximo da BR, nós temos casas coladas no muro, que é pior ainda”, finalizou.

Atraso em obras dificulta vida de quem sofre com doenças renais no Maranhão

Pacientes que sofrem de doenças renais no interior do Maranhão precisam percorrer milhares de quilômetros durante vários dias da semana para ter acesso ao tratamento de hemodiálise em São Luís. Isso porque atrasos em obras de centros de tratamento em alguns municípios maranhenses impossibilitam que esses pacientes tenham acesso ao procedimento.

O aposentado Pedro Rodrigues, morador do município de Chapadinha, a 245 km de São Luís, vive essa jornada cansativa há mais de cinco anos. Pela necessidade do tratamento, o aposentado acorda às 4h da manhã e percorre um trajeto de dez horas para fazer hemodiálise em São Luís. Segundo ele há dias que a van que os leva para a capital não passa. “Hoje eu não sei, mas eu estou aqui arrumado, esperando. Tem dia que eles nos deixam aqui”, disse.

Nesse mesmo horário alguns pacientes no município de Pinheiro, a 333 km de São Luís, já estão se preparando para enfrentar a mesma jornada. Eles enfrentam, quase que diariamente, uma jornada de três horas de viagem de carro do município até São Luís. Depois disso, os pacientes ainda precisam enfrentar outra viagem com 1h30 de duração no Ferry Boat para chegar a capital.

Alguns pacientes por dificuldade de locomoção, não podem descer e ficam dentro do veículo com o ar condicionado desligado o tempo todo. Na chegada em São Luís, os pacientes que já estão desgastados, ainda precisam enfrentar mais três horas na máquina de hemodiálise. “Se a gente sai cansada, a gente chega aqui muito pior. É muito difícil”, diz a paciente Marilene de Jesus Corrêa, que enfrenta semanalmente a viagem de Pinheiro até São Luís.