Isaías Rocha

Compromisso com a verdade, compromisso com você

Isaías Rocha - Compromisso com a verdade, compromisso com você

Medidor de pressão apresenta problema no Italuis; Caema diz que resolveu

Um medidor de pressão de água instalado na Nova Adutora do Italuís apresentou problema nesta sexta-feira (25) e assustou moradores de Periz de Baixo e motoristas que passavam pela BR-135.

A formação de um jato d’água fez parecer que a estrutura – que está sendo recolocada após problemas no ano passado – estaria se rompendo novamente.

Em nota, a Caema confirmou o problema com a peça, garantiu que não houve rompimento da adutora e que o caso já foi solucionado.

‘A CAEMA informa que, no fim da tarde desta sexta-feira (25), o manômetro instalado provisoriamente para monitoramento da pré-operação da adutora desprendeu-se, o que foi contornado de imediato. O Sistema não foi desligado e não há prejuízo para o abastecimento da cidade”.

Justiça manda excluir postagens em que Roseana chama Flávio Dino de ditador

O juiz Júlio César Lima Prazeres, do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) determinou hoje (24), liminarmente, a retirada de três postagens da internet nas quais a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) aparece chamando o governador Flávio Dino (PCdoB) de ditador.

A declaração foi dada na segunda-feira (21), quando a emedebista realizou ato político na residência de sua família, em São Luís.

Segundo as três liminares, devem retirar as postagens de suas respectivas páginas o jornalista Diego Emir, o Imirante.com e o próprio MDB.

A multa diária por descumprimento é de R$ 1 mil.

Gerir alega que governo ‘deu calote’ de R$ 63 milhões e diz que vai à Justiça

O Instituto Gerir, que tinha contrato com o Governo do Maranhão para a administração de três hospitais – o Carlos Macieira, dentre eles -, emitiu hoje (24) uma nota oficial contestando a versão do Executivo para o rompimento da contratação.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), o contrato foi suspenso porque a terceirizada teria se recusado a aderir a um plano de melhoria de prestação de contas.

O instituto nega.

Segundo o Gerir, o que houve foi um calote de R$ 63 milhões por parte do governo, que rompeu a relação contratual após sucessivas cobranças da organização.

Abaixo a íntegra do comunicado da empresa.

Sobre a suspensão dos contratos de administração do Hospital Carlos Macieira, do Hospital de Trauma e Ortopedia e do Hospital Macrorregional Dra. Ruth Noleto, feitas abritrariamente pela Secretaria de Estado de Saúde do Maranhão, o Instituto Gerir esclarece que:

  1. A Secretária da Saúde mente e tenta tapar o sol com a peneira ao transferir suas responsabilidades. Os principais prejudicados por isso são, como sempre, os cidadãos maranhenses;
  2. A Secretaria da Saúde descumpriu o contrato ao não pagar o Instituto Gerir. O calote é de R$ 63 milhões. Os valores são referentes às dívidas com o Instituto Gerir na administração dos 3 hospitais;
  3. A Secretaria da Saúde foi notificada por diversas vezes para pagar essa dívida. Esses documentos seguem no anexo. Nunca pagou e, por fim, para fugir do pagamento, decidiu suspender o contrato;
  4. O calote de R$ 63 milhões será cobrado judicialmente;
  5. Toda a prestação de contas da administração dos hospitais era feita periodicamente. Jamais houve qualquer tipo de notificação oficial que demonstrasse o contrário. Jamais foi feita qualquer comunicação por parte da secretaria cobrando outro tipo de esclarecimento além dos previstos contratualmente e que eram prestados pelo Gerir;
  6. O calote implicou também nos atrasos ao pagamento de prestadores de serviço e fornecedores dos hospitais administrados pelo Gerir;
  7. A suspensão do contrato, portanto, se deu de maneira arbitrária  com a única finalidade fugir do pagamento da dívida;
  8. Como tem sido noticiado pela imprensa maranhense, em toda a saúde do Estado faltam remédios, leitos e servidores. Esse tipo de caso, infelizmente, tem se tornado cada vez mais constante – e nenhuma dessas denúncias partiu do Instituto Gerir;
  9. O calote e a suspensão ilegal do contrato com o Gerir não são as únicas decisões abritrárias tomadas pelo atual secretário de Saúde, Carlos Lula. O mesmo secretário acaba de escolher outras Organizações Sociais para assumir a gestão dos hospitais sem licitação ou qualquer tipo de concorrência, como manda a lei.
  10. Essas medidas, todas flagrantemente ilegais, estão sendo questionadas judicialmente;
  11. Por fim, lamentamos que a gestão da Saúde do Maranhão ainda esteja sob responsabilidade de uma pessoa investigada pela Polícia Federal por suspeitas gravíssimas, como é de conhecimento público.

Sinpol acusa governo de mandar arrancar outdoor com crítica à SSP

O Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Maranhão (Sinpol-MA) emitiu hoje (24) uma nota oficial por meio da qual acusa o Governo do Estado de ter mandado arrancar um outdoor, pago pela entidade, em que havia críticas à Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).

A peça publicitária estava instalada em frente à sede da pasta, na Vila Palmeira, e foi retirada do local na manhã desta quinta-feira

“Antes de findar o contrato”, diz a diretoria do sindicato.

Segundo a entidade, a empresa que alugou o espaço foi ameaçada.

“A empresa contratada para colocar os outdoors fora ameaçada pelo Governo do Estado. Ou eles tiravam aquele outdoor do SINPOL-MA, ou perderiam a placa e o direito de explorar aquele espaço”, diz o comunicado.

Leia abaixo a íntegra. O espaço está aberto para manifestação do governo sobre o caso.

“O Governo do Estado do Maranhão acaba de escrever mais uma página da triste história de terror que tem impregnado o Estado, numa volta à ditadura, em pleno Século XXI. Após o Brasil inteiro se chocar com o caso de investigação feita pelo governo contra seus opositores, a Gestão Flávio Dino e seu “general” Jefferson Portela, mais uma vez usando do braço militar do Estado para impor sua tirania, acabaram de golpear a Democracia, ferindo de morte um dos seus pilares mais sagrados, que é a liberdade de expressão.

Num direito democrático que lhe assiste, o Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Maranhão (SINPOL-MA) usou de um meio legal de publicidade para divulgar uma informação de interesse público, qual seja, a de que o Governo do Estado tem desprezado o investimento na Polícia Civil e destinado a esta menos de 1% da verba de Segurança Pública.  Além das mídias virtuais, o Sindicato usou os tradicionais outdoors como forma de veicular tal denúncia. Assim, foram espalhados pela capital maranhense e por outras cidades do interior, vários outdoors, onde estampavam as fotos dos públicos Jefferson Portela e Flávio Dino, como legítimos símbolos do Governo que são.

Pois, na manhã desta quinta-feira, 24/05/2018, os diretores do Sindicato dos Policiais Civis foram surpreendidos com a notícia de que um dos outdoors, o que havia sido colocado em frente à Secretaria de Segurança Pública, estava sendo retirado antes de findar o contrato. Incrédulos com tal denúncia, a diretoria classista dirigiu-se imediatamente ao local, onde confirmaram a denúncia. O outdoor que ali estivera, dera lugar a uma propaganda da própria empresa detentora dos direitos daquela placa publicitária.

Já prevendo o que acontecera, o SINPOL-MA logo buscou esclarecer os fatos: a empresa contratada para colocar os outdoors fora ameaçada pelo Governo do Estado. Ou eles tiravam aquele outdoor do SINPOL-MA, ou perderiam a placa e o direito de explorar aquele espaço. Tal informação deixou estarrecida a Diretoria do Sindicato, pois, além de atacar diretamente a liberdade de expressão, o que o Governo do Estado praticava naquele ato, era uma violência a própria República, num ataque claro e direto à livre iniciativa, que é um dos princípios fundamentais previstos no primeiro artigo de nossa constituição, em seu quarto inciso.

Diante do que fora levantado, não restou dúvida de que o Autoritarismo mais uma vez se impusera. O local explorado pela referida empresa, fora cedido para ser explorado comercialmente pelo próprio Estado, numa área que hoje pertence ao Corpo de Bombeiro Militar. E não coincidentemente, a ordem para que a publicidade ali exposta fosse retirada, foi dada por um tenente daquela honrada instituição. Resta agora saber: assim como no caso do Circular nº 08, terá o Governo a coragem de dizer que não sabia de nada? Será que as instituições militares resolveram se rebelar contra a tão rígida hierarquia militar, que passaram agir por conta própria, sem a anuência de seus superiores?

A DIRETORIA

Acidente com 5 mortes na BR-135 está sendo investigado pela PRF

“A falta de atenção ou o motorista ter dormido ao volante podem ter sido as causas dessa tragédia que resultou e, cinco pessoas mortas”. A declaração é do assessor de comunicação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Antônio Noberto, ao falar sobre a colisão entre o ônibus da empresa Guanabara, que faz linha Fortaleza a São Luís, e o Gol preto, de placas OJA-9044. O fato ocorreu na manhã de ontem, por volta das 5 horas, no Km 46 da BR 135, em Peris de Cima, na cidade de Bacabeira. As cinco pessoas que vinham de Arari para se submeterem a hemodiálise em um hospital de São Luís, morreram no local.

As vítimas, que estavam no Gol preto, foram identificadas como Antônio Carlos Ferreira Rodrigues, funcionário da Prefeitura de Arari; José Ribamar Rodrigues, Maria de Fátima Socorro Lopes, Robessandro Melo Menezes e Edson Lopes. Os corpos foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML), em São Luís, para a autópsia e logo depois foram liberados aos familiares.

Antônio Noberto informou que Antônio Carlos era acostumado fazer o transporte de pessoas de Arari para se submeterem a hemodiálise em hospitais da capital. Na viagem de ontem, ao diminuir a velocidade do Gol para passar por um quebra-mola no trecho duplicado da BR-135, acabou atingido pelo ônibus da Guanabara.

A colisão foi tão intensa que o automóvel Gol foi arremessado para o canteiro central da rodovia, ficando destruído. As pessoas, que estavam nesse carro, sofreram várias fraturas. Há informações de que uma das vítimas, Maria de Fátima, chegou a pedir socorro e logo depois morreu.

O ônibus da Guanabara ficou com parte da frente avariada, mas nenhum dos passageiros ficou ferido. Antônio Noberto disse que o motorista do ônibus, nome não revelado, foi submetido a exame de alcoolemia e conduzido em seguida para a delegacia de Polícia Civil de Bacabeira onde prestou esclarecimento sobre o fato.

No local do acidente, além da Polícia Rodoviária Federal, integrantes do Corpo de Bombeiros Militar e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados. Os corpos, inclusive, foram retirados dos destroços do veículo pelos bombeiros, enquanto os policiais rodoviários controlavam o tráfego de veículos.

Quebra-mola

O redutor de velocidade conhecido como quebra-mola, segundo Antônio Noberto, já não existe mais na maioria das rodovias federais do país, que é proibido de acordo com o Código Nacional de Trânsito (CNT).

Segundo ele, o Ministério Público Federal (MPF) recomenda que em caso de manifestação devido aos problemas com o tráfego de veículos, se deve fazer o estudo da sinalização no local sem a implantação de quebra-mola.

Mais mortes

Mais duas pessoas morreram em acidente de trânsito na BR-15 na noite de quarta-feira, na cidade de Santa Rita. As vítimas foram identificadas como Credinaldo Carvalho Launé, de 37 anos, e Antônio José, idade não revelada. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, esse fato ocorreu no Km 65, zona rural da cidade.

A motocicleta com as vítimas colidiu com outro veículo de marca e placas não identificadas. Credinaldo Antônio José sofreram fraturas externas, ficando, inclusive, com os braços e pernas dilacerados. Os corpos foram levados para o Hospital de Santa Rita e liberados no começo da manhã de ontem aos familiares. A polícia não informou a causa desse acidente, mas existe a possibilidade de ter sido ocasionado por uma ultrapassagem irregular.

Guanabara lamenta

Em nota, a Guanabara lamenta o acidente ocorrido na manhã desta quinta-feira, 24, na BR-135, na localidade de Peris de Cima, no município de Bacabeira (MA). A empresa está apurando os fatos e contribuindo com as autoridades competentes para elucidar as causas do sinistro. A Guanabara se solidariza com as famílias das vítimas e irá prestar todo o apoio cabível.

“Escola Digna é a educação que sonhamos”, diz Honorato Fernandes em artigo

images-28

O vereador Honorato Fernandes, presidente do Diretório Municipal do PT de São Luís, publicou artigo nesta quarta-feira (24) em suas redes sociais fazendo uma análise sobre o projeto “Escola Digna”. De acordo com o vereador, a escola é um espaço de construção do conhecimento. Por isso, segundo ele, o ambiente escolar tem que ser de qualidade.

Em texto intitulado “Escola Digna, um projeto para transformar a educação no Maranhão”, o líder do PT na Câmara de São Luís diz, que o programa já reformou mais de 700 escolas da rede pública que eram de barro e taipa cobertas de palha, e agora são prédios de tijolos e telhas.

— Os ensinamentos do educador Paulo Freire podem resumir bem a minha decisão de falar um pouco do Escola Digna, maior programa de investimento em educação da história do Maranhão. Porque tenho convicção de que é a educação o melhor instrumento de superar perversas desigualdades e obter desenvolvimento verdadeiro — declarou.

Leia a íntegra do artigo:

Escola Digna, um projeto para transformar a educação no Maranhão

Por Honorato Fernandes:

Como é a escola que sonhamos? Esse questionamento foi feito a mim no início do primeiro semestre de 2015 durante uma visita de estudantes da rede pública à Câmara Municipal de São Luís. A indagação feita por um jovem aluno me fez refletir. Afinal, como diz o educador Paulo Freire, reconhecido no mundo todo por uma ideia transformadora: a de que a Educação é capaz de fazer as pessoas entenderem melhor o mundo à sua volta, e assim mudá-lo.

Escola, para mim, é espaço de construção do conhecimento. Por isso, ela tem que ser de qualidade. E os ensinamentos do mestre Paulo Freire podem resumir bem a minha decisão de falar aqui um pouco do Escola Digna, maior programa de investimento em educação da história do Maranhão. Porque tenho convicção de que é a educação o melhor instrumento de superar perversas desigualdades e obter desenvolvimento verdadeiro.

Implantado desde o primeiro ano da gestão Flávio Dino, o programa já reformou mais de 700 escolas da rede pública que eram de barro e taipa cobertas de palha, e agora são prédios de tijolos e telhas. Além das obras estruturais, o Escola Digna contempla as unidades com móveis, equipamentos, climatização, fardamento, livros e outros itens que tornam possível o aprendizado a milhares de crianças e adolescentes maranhenses.

Todo o Maranhão é beneficiado com o Escola Digna, sendo priorizados os 30 municípios incluídos no plano Mais IDH – aqueles que possuem historicamente o menor Índice de Desenvolvimento Humano – e os de maior demanda, segundo levantamentos realizados pela gestão, junto às prefeituras. O diferencial do programa é a transformação promovida nas unidades escolares, tornando-as mais dignas ao ensino.

A grande maioria das escolas transformadas pelo programa possuíam paredes de barro com risco de desabamento; muitos buracos devido às chuvas, tempo e a própria condição precária do material; teto com a cobertura de palha e cheio de falhas que incomodavam no sol ou na chuva; e sem banheiros, refeitório e outras dependências indispensáveis. Os móveis – cadeiras, mesas, quadros – em algumas nem existiam e o mínimo de conforto aos alunos era feito no improviso, roubando o presente e ceifando a esperança de crianças social e economicamente indefesas.

Não tenho dúvidas de que o processo mais seguro, para alcançar uma etapa de desenvolvimento para nosso estado, é a educação. Por isso, hoje eu tenho plena convicção de que a escola que sonhamos é a que se assemelha a uma Escola Digna.

*Vereador e presidente do PT de São Luís

Pedro Lucas pede reforma de praça no Cohajoli

Parlamentar destacou ainda que revitalização de espaços públicos em São Luís oferece novos pontos de lazer e convivência        

PedroLucas

O vereador Pedro Lucas (PTB) solicitou, por meio de requerimento à Prefeitura de São Luís, através do Instituto Municipal de Paisagem Urbana (Impur), a reforma da praça do Cohajoli, na Vicente Fialho, com a instalação de equipamentos para atividades físicas ao ar livre.

No documento, o líder do PTB na Câmara, frisa que o pedido atende a uma solicitação dos moradores do bairro que dispõe apenas dessa praça para o lazer social. Segundo ele, a instalação de equipamentos para a prática dessas atividades beneficiará toda a comunidade, melhorando a qualidade de vida da população da localidade.

A proposição contendo a solicitação está na pauta de votações e, se aprovada, será encaminhada ao prefeito Edivaldo (PDT) e ao Impur, presidido hoje por Luiz Carlos Borralho.

IMG_4328

LAZER E CONVIVÊNCIA
Ao propor a reforma da praça do Cohajoli, Pedro Lucas aproveitou para destacar a redemocratização dos espaços públicos, antes marginalizados ou sem uso pela população. De acordo com o parlamentar, essa tem sido uma forte marca da administração do prefeito Edivaldo. Desde 2015, já foram inauguradas várias praças, quadras esportivas e áreas de lazer em barros da capital. Os investimentos na revitalização desses espaços, segundo o vereador, têm possibilitado novos pontos de lazer e convivência, servindo também como opções para os moradores e turistas.

“A revitalização dos espaços públicos em São Luís é muito importante porque revaloriza esses espaços, promove a integração comunitária, melhora a segurança, gera inclusive emprego e renda, aumenta a autoestima, a sensação de melhoria nas condições de vida da população. É por essas razões que a administração do prefeito Edivaldo tem sido muito assertiva e atenciosa quanto à necessidade de investimentos para oferecer mais espaços para que as pessoas possam conviver”, declarou Pedro Lucas.

TRE determina exclusão de vídeo em que Flávio Dino pede votos para Duarte Jr.

Duarte Júnior e Flávio Dino cometem crime eleitoral até dentro do Palácio

Duarte Júnior e Flávio Dino cometem crime eleitoral até dentro do Palácio

O desembargador Cleones Cunha, atuando pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, determinou ontem liminarmente, a retirada imediata de um vídeo da internet em que o governador Flávio Dino (PCdoB) pede votos ao pré-candidato a deputado Duarte Júnior (PCdoB), ex-presidente do Procon.

Os dois comunistas foram acionados na Justiça Eleitoral pelo Ministério Público Eleitoral no Maranhão.

Segundo a denúncia, Duarte Júnior publicou na sua página pessoal e redes sociais, vídeos e notícias sobre o evento de lançamento da sua pré-candidatura ao cargo de deputado estadual pelo partido PCdoB, no dia 28 de abril de 2018, no Rio Poty Hotel.

O evento contou com a presença do atual governador Flávio Dino. Segundo o Ministério Público Eleitoral, no discurso do governador foi possível constatar manifestação que nitidamente configura propaganda eleitoral antecipada, com explícito pedido a Duarte Júnior.

“E eu vim aqui pedir para vocês fazerem a campanha do Duarte. Não é só votar, é fazer a campanha. E tenho certeza, sob a proteção de Deus e com a força da população, a gente vai ter uma grande vitória”, disse Dino.

Para o MPE, além de ter sido dirigido à população em geral que se fazia presente no local e não apenas ao âmbito intrapartidário, o pedido foi divulgado pelo próprio Duarte Júnior em grande escala, na internet.

A decisão de Cunha é pela retirada imediata do material da internet, sob pena de multa.

Outra determinação

Flávio Dino também foi acionado pelo PRP no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O motivo da ação é o mesmo da primeira representação do Ministério Público Eleitoral: pedido de voto no evento do Solidariedade.

A diferença entre os dois pedidos é o valor da multa. A PRE prevê multa de R$ 5 mil a R$ 20 mil e o PRP pede aplicação de multa no valor de R$ 25 mil.

Outra diferença é que o partido de Ricardo Murad pediu liminar para que o Solidariedade retirasse das redes sociais o vídeo com Dino pedindo voto em clara propaganda antecipada.

O pedido de liminar foi concedido pelo juiz Eduardo Moreira. De acordo com a decisão do magistrado, o Solidariedade teve 24 horas para retirar o vídeo e se assim não fizesse, seria aplicada multa diária de R$ 5 mil.

Na interpretação de Eduardo Moreira, o pedido explícito de voto configura propaganda eleitoral antecipada.

Bolsonaro deve vir ao Maranhão na segunda quinzena de junho

1527103110-723592922

O pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) já está com a agenda sendo fechada para desembarcar em São Luís. A previsão é de que o presidenciável venha lançar a pré-candidatura de Maura Jorge ao governo do Maranhão na segunda quinzena de junho.

Bolsonaro será o terceiro pré-candidato a presidente do país a visitar o Maranhão.

Antes dele já estiveram aqui Guilherme Boulos (PSOL) e Geraldo Alckmin (PSDB).

Bolsonaro vem a São Luís em um momento em que o PSL constrói alianças que garantam a candidata ao governo pelo seu partido condições para entrar na disputa.

Maura Jorge até o momento tem o apoio oficial do PRTB e do PSDC.

Os diálogos por apoio da pre -candidata do PSL continuam e há previsão de que novas adesões sejam anunciadas até a chegada do presidenciável Bolsonaro.

Evento

Jair Bolsonaro deverá participar de dois momentos em São Luís. O primeiro será com os pré-candidatos a deputado Estadual e federal. Logo depois, a agenda do presidenciável deverá ser com todos os filiados dos partidos aliados e também de lideranças. A expectativa será reunir líderes políticos de todo o Maranhão.

Bolsonaro está em uma onda alta trazida pelo bom desempenho nas pesquisas eleitorais. Sem a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o deputado do PSL vem liderando os cenários nos levantamentos eleitorais registros na Justiça Eleitoral.

Jair Bolsonaro chega a marca de 20% na última pesquisa divulgada pela CMT/ MDA.

No cenário mais provável sem Lula, Bolsonaro tem 19,7%; Marina Silva (Rede) 15,1%; Ciro Gomes (PDT), 11,1%. O ex-governador tucano Geraldo Alckmin apareceriam em seguida, com 8,1%, seguido por Fernando Haddad (PT), com 3,8%.

O nível mais alto de intenção de voto de Bolsonaro é de 20,7%, caso disputasse o Planalto com Marina (16,4%), Ciro (12%), Haddad (4,4%) e Meirelles (1,4%).

Secretário de Comunicação do Estado é denunciado à PF por Fake News

O deputado estadual Adriano Sarney, presidente do Partido Verde no Maranhão, ingressou nesta quarta-feira (23) com uma denúncia junto à Superintendência da Polícia Federal no Maranhão (SPF-MA) e à Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) contra o secretário de Comunicação e Assuntos Políticos do Governo do Estado, Edinaldo Neves, para que seja apurada a divulgação de Fake News (notícia falsa em tradução livre do inglês). Constam ainda na denúncia os nomes dos blogueiros Antonio Fabrício Oliveira Silva e Uberlandes Alves, que massificaram a postagem.

A denúncia é com base na montagem de uma foto tirada no evento em que a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) anunciou sua pré-candidatura ao Governo do Estado.

Na foto verdadeira (ao lado), Roseana está ao lado do deputado federal Hildo Rocha, do seu partido, porém na montagem do secretário de Comunicação, quem aparece é o presidente Michel Temer (foto). Ainda na postagem, vem a frase “se gritar pega…” Já outros repercutiram com o alerta de que eles irão pedir o voto do eleitor e este deve dar a resposta.

A ação, que é também chamada “notícia de fato” no jargão jurídico, foi encaminhada à PF e à PRE após a divulgação de uma imagem adulterada, em um grupo de Whatsapp, no qual foi postado uma foto do evento ocorrido no início desta semana, em que a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) havia confirmado a sua pré-candidatura ao Palácio dos Leões, ao lado de diversas autoridades e políticos aliados.

De acordo com a documentação, este tipo de ato ilícito pode ser enquadrado como calúnia, injúria e difamação. Do ponto de vista político, a Fake News pode ter o intento de manipular a opinião pública; desestabilizar a disputa eleitoral; influenciar no resultado eleição de 2018; e prejudicar adversários políticos.

Neste caso há também como enquadrar o fato a crimes tipificados no §1º e no §2º do art. 57-H, da Lei das Eleições, que tratam da “contratação direta ou indireta de grupo de pessoas com a finalidade específica de emitir mensagens ou comentários na Internet para ofender a honra ou denegrir a imagem de candidato, partido ou coligação”, sendo igualmente consideradas criminosas as pessoas contratadas.