Isaías Rocha

Compromisso com a verdade, compromisso com você

Isaías Rocha - Compromisso com a verdade, compromisso com você

Sindicato dos Advogados diz que crise na segurança leva governo a nocaute no MA

O presidente do Sindicato dos Advogados do Maranhão – SAMA, Mozart Baldez, divulgou nota em seu perfil no Facebook, cobrando a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão para apurar qual o grau de envolvimento e contaminação de integrantes das Polícias Civil e Militar com o crime organizado.

O comunicado divulgado nas redes sociais, segundo Baldez, é em repúdio aos órgãos de segurança pública do Maranhão, tendo em vista os últimos acontecimentos noticiados amplamente na mídia em geral, dando conta da prisão e envolvimento de vários policiais civis e militares com uma organização criminosa, com a agravante da participação do delegado Thiago Bardal, ex-superintendente da SEIC.

De acordo com o líder dos advogados maranhenses, a ‘crise de insegurança’ que se instalou ‘levou o governo a nocaute e alastrou o medo’. Em função disso, ele afirmou que há necessidade suprema do governador Flavio Dino, vir a público prestar contas à população e restabelecer a ordem, anunciando medidas necessárias à retomada da confiança e normalidade no setor.

Confira a nota:

O SINDICATO DOS ADVOGADOS DO ESTADO DO MARANHÃO – SAMA, entidade sindical de primeiro grau, apartidária e representativa dos advogados do Estado do Maranhão, CNPJ nº 24.208.471/0001-58, com sede na Av. dos Holandeses, Edifício Century, Nº 14, Sala 804, Calhau, São Luís – MA, telefone: (98) 30828652, por seu Presidente in fine assinado, vem a público, EMITIR NOTA DE REPÚDIO AOS ÓRGÃOS DE SEGURANÇA PÚBLICA DO GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO , tendo em vista os últimos acontecimentos noticiados amplamente na mídia em geral, dando conta da prisão e envolvimento de vários policiais civis e militares com uma organização criminosa, com a agravante da participação do Delegado de Polícia Civil, THIAGO BARDAL, Ex-superintendente da SEIC, a quem o Estado lhe confiou a missão extrema e inconfundível de patrocinar coletivamente a segurança pública dos cidadãos maranhenses,pelas seguintes razões:

I – O povo do Estado do Maranhão vive nos últimos anos momentos de turbulência e instabilidade na área de segurança pública, sem ter a quem recorrer;

II – Aliados a isto, os órgãos de combate à violência e criminalidade, por vários fatores , incluindo corrupção, valorização dos seus integrantes, falta de aparelhamento, políticas públicas de inclusão social , prevenção e repressão, vem se mostrando impotentes no combate ao cometimento de delitos e isto causa intranquilidade no meio social e desacredita as instituições;

III – Não obstante a fragilidade dos poderes afins em conter a violência, a situação se agrava ainda mais quando a sociedade ordeira toma conhecimento de supetão que agentes e autoridades públicas da área de segurança, que detém o privilégio de informações, se utilizam da inteligência e armas do Estado, patrocinados por pesados tributos impostos aos cidadãos, para engrossar as fileiras do crime organizado que lhes foram confiados para reprimir a criminalidade;

IV – No apogeu da CRISE DE INSEGURANÇA que ora se instalou e que levou o governo a nocaute e alastrou o medo, com a efetiva inversão de papéis da própria polícia que serve ao crime, há necessidade suprema do governador do Maranhão Flavio Dino, vir a público prestar contas à população e restabelecer a ordem, anunciando medidas necessárias à retomada da confiança e normalidade no setor.

V – É imperioso também que a Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão, através de suas lideranças partidárias, ou qualquer parlamentar, para salvaguardar a população do Estado do Maranhão, tome a iniciativa URGENTE de instalar uma COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO – CPI , para apurar qual o grau de envolvimento e contaminação de integrantes das Polícias Civil e Militar com o crime organizado, até mesmo para que o povo desta terra não continue a ser surpreendido com acontecimentos dessa natureza ou seja obrigado a conviver com uma polícia que não confie.

VI – Por derradeiro, o SAMA suplica ao Ministério Público Estadual que intervenha efetivamente nos órgãos de segurança e inaugure uma investigação ampla e irrestrita para apurar os desvios de condutas nas duas corporações, promovendo um verdadeiro LIMPA.

São Luís – MA, 23 de fevereiro de 2018-02-23
MOZART BALDEZ
Presidente do SAMA – SINDICATO DOS ADVOGADOS DO ESTADO DO MARANHÃO

Category: Uncategorized

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*