“Falta de conhecimento técnico”, diz diretor do Emet em “dura” resposta ao deputado Yglésio

Fernando Bastos revelou que o parlamentar, que é pré-candidato a prefeito, não entende nada de estatística e nem de legislação eleitoral. “Vamos divulgar a verdade doa a quem doer”, destacou.

O administrador Fernando Bastos, diretor do Emet – Instituto Comércio e Consultoria reagiu com dureza ao pronunciamento do deputado estadual Yglésio Moyses, presidente da executiva do PROS em São Luís, que utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão para criticar a forma como o questionário foi montado pelo instituto numa pesquisa registrada sob o número MA-04866/2020, com a aplicação entre os dias 10 e 14 de agosto.

Yglésio disse que “alguns nomes de pré-candidatos depois do ‘não sei e nenhum’, demonstra a total falta de critério na pesquisa”. O discurso foi realizado na manhã desta quarta-feira (12).

Em resposta ao parlamentar que é pré-candidato a prefeito na capital, Fernando Bastos disse que Yglésio não entende nada de estatística e nem de legislação eleitoral.

Segundo ele, embora o questionário registrado no sistema do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) apresente três pré-candidatos após as opções “não sei” e “nenhum”, o sistema do instituto, durante as entrevistas, organiza os nomes alfabeticamente.

“O nosso sistema coloca, automaticamente, em ordem alfabética [os nomes dos pré-candidatos]. Nossa coleta é feita por meio de dispositivos eletrônicos. O deputado deve ter consultado no site do TSE, onde é registrada a pesquisa, e lá se copia e se lança. O questionário é enviado, mas isso não quer dizer que o questionário vai ser executado daquele jeito”, argumentou.

Bastos também comentou a respeito do mix de atividades econômicas do Emet. Ele afirmou que, até o momento, o instituto nunca atuou ou forneceu produto ou serviço a não ser pesquisa de opinião pública.

“Mas, independente disto, a nossa legislação permite que uma empresa exerça várias atividades. Não há ilícito nenhum em uma empresa exercer várias atividades. O próprio Yglésio, quando foi gestor público [diretor-geral do Socorrão I, em São Luís], contratou pelo menos 10 empresas que tinham várias atividades além das que ele contratou. O que me parece é que ele está tentando desacreditar uma pesquisa que sequer foi publicada. Ele pode tentar o que quiser judicialmente, nós vamos responder e não tenho dúvida de nossa vitória”, respondeu, justificando ainda que a atividade varejista de armas e munições se deu porque ele, como atleta e competidor, pretende montar um clube de tiro. “Eu eu já deixo ali a empresa pronta, neste sentido, e não vejo problema. Não há ilegalidade”.

“FALTA DE CONHECIMENTO TÉCNICO”

Visando apresentar sua versão das informações repassadas pela assessoria do parlamentar, diretor do Emet gravou áudios respondendo alguns questionamentos do editor do blog.

Existe alguma irregularidade no questionário apresentado à Justiça Eleitoral?

O deputado criticou as diversas atividades registradas pelo Emet na Receita Federal, inclusive comércio varejista de armas e munições. O que você tem a dizer em relação a essa situação?

O Emet atua desde março de 2019. Nesse período, a empresa já prestou serviço em alguma outra das diversas atividades econômicas registradas ou somente em pesquisas de opinião pública?

 

ESTATICISTA PREMIADA
A doutora Kalline Fabiana Silveira, graduada em Ciências Climáticas (doutorado) e Estatística (mestrado) pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), é responsável pelo Departamento de Estatística, Pesquisas de Mercado, Consumo e Intenção de voto do Emet. A estaticista ganhou dois prêmios por 100% de acerto nas pesquisas que realiza.

Rede Sustentabilidade denuncia comícios de Detinha à Justiça Eleitoral

O diretório municipal do partido Rede Sustentabilidade apresentou nesta terça-feira, 11, denúncia ao Ministério Público Eleitoral contra a candidata do PL, deputada Detinha, por propaganda eleitoral antecipada.

Nas duas últimas semanas,quando seu partido estava em campo com uma pesquisa eleitoral sobre a sucessão municipal, Detinha realizou uma série de comícios em comunidades de São Luís, prática proibida pela Justiça Eleitoral.

A Rede Sustentabilidade tem o jornalista Jeisael Marx como candidato a prefeito.

– Extrai-se, pôs, do conjunto fático, que o representado realizou propaganda eleitoral antes da data autorizada para tanto, perpetrando o ilícito eleitoral – diz o documento do partido, assinado pela presidente municipal Laryssa Cristalya Nascimento Coelho.

No documento, além de pedir a imediata suspensão das práticas, a Rede Sustentabilidade pede também que seja investigada possível abuso de poder econômico por parte da candidata do PL.

Condé mostra tranquilidade e destaca potencial do Sampaio

O técnico Léo Condé reagiu com tranquilidade após a segunda derrota consecutiva do Sampaio, no Campeonato Brasileiro Série B, ontem (11), por 1 a 0, para o Juventude, no Estádio Castelão, em São Luís.

Segundo Léo Condé, faltou capricho na finalização das jogadas. O meia Eloir, por exemplo chegou a driblar o goleito do Juventude e perdeu um gol incrível no primeiro tempo.

“A gente lamenta muito o resultado, até pelo que a equipe criou no primeiro tempo. Estávamos com a proposta de pressionar a saída de bola do Juventude. Conseguimos criar inúmeras oportunidades de gols, com o Jackson, Daniel, Eloir, Gustavo Ramos… Faltou o capricho para definir as jogadas. Não fizemos”, disse.

Léo Condé destacou o potencial da equipe que tem tudo para melhorar nos próximos jogos e começar a obter os resultados positivos, mas espera mais consistência na equipe nos próximos jogos.

“Infelizmente a atuação e a insistência não foram o suficiente para garantirmos um bom resultado. Acreditamos que essa equipe tem potencial para crescer dentro da competição. Mas claro, havendo mais consistência durante os 90 minutos, para assim seguirmos bem na competição. Essa é a nossa expectativa”, finalizou.

O Sampaio enfrenta a Chapecoense, no próximo domingo (15), às 11h, na Arena Condá, em Chapecó. Na quarta-feira (19), o Sampaio pega o Figueirense, às 19h, no Estádio Castelão e o Brasil de Pelotas, no sábado (22), às 21h, em Pelotas, no interior do Rio Grande do Sul.

Pré-candidatura de Rubens Jr. reúne seis partidos em São Luís

Uma senadora, dois deputados federais e outros três presidentes de partido estiveram reunidos nesta quarta-feira (12) em um almoço que teve como cardápio a sucessão da Prefeitura de São Luís. Próximo das Convenções Partidárias, sentaram-se à mesa os dirigentes de PCdoB, PP, PMB, DC, Cidadania e PT.

Além do pré-candidato, o deputado federal Rubens Jr, estiveram no almoço o também deputado federal André Fufuca, que preside o Partido Progressista no Maranhão; e o também deputado federal Márcio Jerry, presidente estadual do Partido Comunista do Brasil. A senadora Eliziane Gama representou o Cidadania. Também estiveram o presidente do Democracia Cristã, Totó Martins; Efigênia e Samuel líderes do Partido da Mulher Brasileira (PMB); e do presidente municipal do Partido dos Trabalhadores (PT), Honorato Fernandes.

Ao comentar a reunião, Rubens reforçou que “estamos firmes em nossa caminhada e cada vez mais convictos de que marchamos na direção correta. Temos ao nosso lado um grande time, todos fazendo contribuições importantes e dedicados na luta pela vitória”.

O pré-candidato destacou, ainda, que está construindo um plano de governo com efetiva participação popular, dialogando com setores da sociedade civil, líderes comunitários, por meio do movimento Diálogos Por São Luís, que nos últimos meses, realizou dezenas de encontros presenciais e virtuais.

“Estamos prontos para discutir com seriedade e propriedade os problemas de São Luís e apontar soluções viáveis para nossa população. Esse encontro de hoje confirma isso: a união de pessoas que realmente se importam com nossa cidade, e querem trilhar o caminho do progresso, do respeito a diversidade, da educação de qualidade, saúde acessível, desenvolvimento sustentável. Estamos juntos, é pra valer, é pra vencer”, complementou Rubens.

“Excelente reunião hoje com presidentes dos partidos que estão com a pré-candidatura de Rubens”, disse Márcio Jerry, presidente do PCdoB. “É pra valer, é pra vencer”.

Duarte Jr garante 1ª ciclofaixa turística em São Luís

O deputado estadual Duarte Jr (Republicanos), após apresentar a indicação nº 803/2020 à Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito (SMTT), conseguiu a implantação de uma ciclofaixa. Trata-se de uma solicitação feita pelo grupo de ciclismo Pedal Bike Clube, iniciativa que também beneficia demais ciclistas da capital, sejam profissionais ou amadores.

A criação da ciclofaixa exclusiva de esporte e lazer, que não tem qualquer custo adicional à Prefeitura, compreende um trecho parcialmente interditado para veículos motorizados, um percurso de 8,2 km que liga a Av. Litorânea até o Centro Histórico, aos domingos e feriados, das 6h às 10h.

“Quero agradecer primeiramente a Duarte Jr, que foi bastante empenhado nessa causa que a gente vem, através do Clube Pedal Bike, há muito tempo, tentando conseguir estruturas e melhorias pro ciclista da cidade de São Luís, como um todo. A gente convidou o Duarte Jr pra ouvir a nossa demanda, o que que a gente precisa pra ter estrutura pra pedalar. De imediato, ele nos ouviu, pegou o problema pra ele e resolveu. E hoje a gente está aqui, inclusive, bastante emocionado. A gente quer agradecer também o apoio e empenho da SMTT e da Equatorial”, disse o presidente do Pedal Bike Clube”, Denes Veloso.

“A ciclofaixa é uma porta de entrada para aqueles que querem realizar a prática do ciclismo e é tão importante pra fomentar o uso da bike como também pra dar a segurança para aqueles que têm medo de pedalar nas ruas. Pra mim é um marco histórico na nossa cidade”, comenta a ciclista e engenheira ambiental Monalisa Santos.

A reivindicação surgiu a partir das dificuldades existentes nas vias da capital, onde a falta de estrutura e sinalização, bem como os riscos de acidentes, inibe a locomoção de usuários de bicicletas. De acordo com o parlamentar, a ideia já é realidade em Recife e Fortaleza, por exemplo, e começou também dessa forma, com ciclofaixas com extensão limitada. Hoje, a medida está ampliada nas cidades.

Para a efetivação, Duarte contou ainda com a parceria da Equatorial Energia, para que mil cones fossem colocados na extensão de todo o percurso, a fim de facilitar a sinalização e delimitar os espaços da via. Agentes de trânsito também estarão no local para orientar e garantir a segurança de condutores, ciclistas e pedestres.

“Fico feliz por conseguirmos resolver mais uma demanda que nos foi solicitada. A turma do Pedal Bike me procurou e abracei essa causa. É verdade que ainda estamos distantes do ideal, mas já é um passo importante poder garantir pelo menos um espaço em via pública para a prática do ciclismo com segurança em São Luís. Agradeço imensamente à Prefeitura de São Luís, ao secretário Israel Pethros, da SMTT; aos agentes de trânsito, pela sensibilidade em atender o nosso pedido. Também ao grupo Pedal Bike, por idealizar esse importante projeto; e à Equatorial, pela doação de mil cones. Juntos, somos mais fortes, garantimos resultados e resgatamos o amor pela nossa ilha”, pontua Duarte Jr.

Próximos passos

O parlamentar realizará novas reuniões e lives com ciclistas para ampliar a iniciativa. A ideia é que São Luís seja toda interligada por ciclofaixas e ciclovias, já que muitas pessoas utilizam bicicleta como meio de transporte diário. “Queremos que essa iniciativa possa garantir não somente esporte e lazer, mas também mobilidade urbana”, destacou.

Estaticista do Emet ganhou dois prêmios por 100% de acerto nas pesquisas que realiza

Instituto deve divulgar levantamento eleitoral na próxima semana em São Luís

kalline Silveira é formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Dizer que o Emet é mais uma empresa que atua no ramo de pesquisas é pouco. O Instituto que revolucionou o método de levantamentos eleitorais no Maranhão tem a personalidade e o nível de qualidade garantido por uma estaticista premiada nacionalmente.

Lançado em março de 2019, com a proposta de um conceito inovador no estado, o Emet – Instituto Comércio e Consultoria, surgiu com a missão de compreender, interpretar e esmiuçar, traduzindo em números, informações com uma filosofia de trabalho que alia rigor técnico, ousadia e transparência na execução dos levantamentos.

Depois de trazer a verdade sobre a corrida eleitoral em Imperatriz, com a divulgação de uma pesquisa inovadora, agora será a vez de compreender os números reais e verdadeiros em São Luís. A pesquisa do Emet que será divulgada na capital maranhense está registrada sob o número MA-04866/2020, com a aplicação entre os dias 10 e 14 de agosto. Serão ouvidas 1065 pessoas. A margem de erro desta pesquisa é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%.

Embora não tenha sido contratada por nenhum veículo de comunicação, o levantamento inovador deve ser divulgado com exclusividade pelo programa Na Hora, da Rádio 92.3 FM.

ESTATICISTA PREMIADA
A doutora Kalline Fabiana Silveira, graduada em Ciências Climáticas (doutorado) e Estatística (mestrado) pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), vai fazer o diagnóstico dos levantamentos do Emet, cujo diferencial é que ele será 100% digital. Ela que tem mestrado em Demografia e várias especializações em estatística, possui uma experiência de 12 anos à frente de grandes institutos de pesquisa do país e já teve vários trabalhos publicados na Abep – Associação Brasileira de Estudos Populacionais.

Além do vasto conhecimento na área, doutora Kalline, que é responsavel pelo Departamento de Estatística, Pesquisas de Mercado, Consumo e Intenção de voto do Emet, foi ganhadora por dois anos consecutivos do Prêmio José Casaes, concedido pelo Conselho Federal de Estatística para quem tem 100% de acerto nas pesquisas que realiza. A experiência profissional de quem assina as pesquisas do Emet vai melhorar ainda mais a excelência em qualidade, confiabilidade e precisão do mais novo instituto maranhense.

Tecnologia permite acompanhar as pesquisas em tempo real

100% ANTIFRAUDE
O Emet é de propriedade da empresária Fernanda Moraes Bastos. Em contato com o blog, a empresária que é esposa do administrador e analista Fernando Bastos, explicou que como os pesquisadores do instituto não usam papel, a tecnologia será integrada diretamente ao sistema do TSE, o que faz a metodologia aplicada também ser 100% antifraude. “A Emet vem para trazer a verdade para a política”, destacou.

SERVIÇOS OFERECIDOS
Além de revolucionar o mercado de pesquisas eleitorais, fornecendo informação correta, confiável e aplicada de formada totalmente científica e segura, o Emet também oferece serviços nas áreas de gestão pública, licitação e contratos, projetos, prestação de contas eleitorais e marketing político eleitoral.

1ª PESQUISA EM SÃO LUÍS
A sua primeira pesquisa em São Luís está registrada sob o número MA-04866/2020, com a aplicação entre os dias 10 e 14 de agosto. Serão ouvidas 1065 pessoas. A margem de erro desta pesquisa é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%.

Maranhão passa dos 132 mil casos do novo coronavírus

O Maranhão não registrou nenhum óbito pela Covid-19 nesta terça-feira (11). Segundo o boletim da Secretaria de Estado da Saúde. Foram notificados 17 óbitos, sendo 2 casos na Região Metropolitana de São Luís e 15 casos, no interior. Foram registrados 1.394 novos casos (116 na Região Metropolitana de São Luís e 1.378 nas demais cidades maranhenses).

Os números da pandemia do novo coronavírus no Maranhão são: 132.060 casos, com 3.204 mortes, 121.843 pessoas recuperadas 3.406 suspeitos.

Em agosto são 191 óbitos. Em julho foram registradas 959 mortes pela Covid-19. Em junho foram 1.071 óbitos. Em março 63 mortes, em abril 203 e em maio 705 óbitos pelo novo coronavírus no Maranhão.

Os óbitos de hoje foram registrados em Pinheiro (1), Barreirinhas (1), Imperatriz (1), Campestre do Maranhão (1), Balsas (1), Carutapera (1),Tutóia (1), Grajaú (1), São João dos Patos (1), São Bento (1), São Luís (2), Vitorino Freire (2) e Riachão (3).

A taxa ocupação de leitos de UTI em São Luís é de 41,45% e de leitos clínicos de 20,94%. Em Imperatriz, a ocupação de leitos de UTI é de 59,26% e a de leitos clínicos de 51,85%. Nas demais cidades maranhenses a taxa de ocupação de leitos de UTI é de 29,30% e de leitos clínicos 17,13%.

Segundo o boletim da SES, 3.133 profissionais da Saúde já foram infectados e 3.049 recuperados ao todo foram 57 óbitos.

PGR questiona foro especial de autoridades do Maranhão

O procurador-geral da República, Augusto Aras, ajuizou no Supremo Tribunal Federal (STF) 17 ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs) contra dispositivos das Constituições estaduais do Maranhão e de outras 16 unidades da federação que atribuem foro por prerrogativa de função a autoridades que não são listadas na Constituição Federal, como defensores públicos, delegados, procuradores, auditores militares, presidentes de entidades estaduais e reitores.

Aras argumenta que a Constituição estabelece o foro especial para presidente e o vice-presidente da República, deputados federais e senadores, ministros do STF, dos tribunais superiores e do Tribunal de Contas da União (TCU), procurador-geral da República, ministros de Estado, advogado-geral da União, comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, chefes de missão diplomática de caráter permanente, governadores, magistrados, conselheiros dos Tribunais de Contas, membros do Ministério Público e prefeitos. Essas autoridades são a referência para que as constituições estaduais indiquem os seus equivalentes.

Segundo o procurador-geral, os estados não podem inovar nessa área, pois a União tem a competência exclusiva para legislar sobre Direito Processual. A seu ver, as constituições estaduais, ao prever o foro por prerrogativa de função a ocupantes de cargos que não constam da Constituição Federal, violam o princípio da isonomia, pois atribuem tratamento desigual, pois todos os servidores públicos, quando não qualificados como agentes políticos, são processados e julgados no primeiro grau de jurisdição.

ADIs

As ações ajuizadas são as seguintes: ADIs 6501 (Pará), 6502 (Pernambuco); 6504 (Piauí); 6505 (Rio de Janeiro); 6506 (Mato Grosso); 6507 (Mato Grosso do Sul); 6508 (Rondônia); 6509 (Maranhão); 6510 (Minas Gerais); 6511 (Roraima); 6512 (Goiás); 6513 (Bahia); 6514 (Ceará); 6515 (Amazonas); 6516 (Alagoas); 6517 (São Paulo); e 6518 (Acre).

Os ministros Celso de Mello, relator das ADIs 6505, 6506, 6507 e 6509, e Edson Fachin, relator das ADIs 6512 e 6513, adotaram o rito previsto no artigo 12 da Lei 9.868/1999, que autoriza o julgamento da ação diretamente pelo Plenário, sem a necessidade de análise prévia do pedido de liminar.

MP cobra SES por volta às aulas presenciais no Maranhão

Promotores de justiça das áreas de Saúde, Educação e Proteção ao Idoso e à Pessoa com Deficiência encaminharam, na sexta-feira (7), ofício conjunto à Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão (SES/MA) solicitando um pronunciamento sobre a volta às aulas presenciais.

No ofício, o MPMA pede que, no prazo de cinco dias, o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (COE Covid 19) e a Comissão de Infectologia da SES/MA detalhem critérios sanitários que devem viabilizar a retomada segura das aulas presenciais nas instituições de ensino, públicas e privadas, em território maranhense.

Caso seja possível a retomada responsável das atividades educacionais presencialmente, deve ser formulado um protocolo sanitário uniforme único, que contemple todas as instituições de ensino do estado, públicas e privadas, e seja aplicável aos alunos da educação especial.

O ofício é resultado de uma reunião virtual promovida pelos Centros de Apoio Operacionais (CAOps) Saúde, Educação e de Proteção ao Idoso e à Pessoa com Deficiência com representantes da Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão. Participaram da reunião os coordenadores dos CAOps Saúde, Ilma de Paiva Pereira; da Educação, Eduardo Borges Oliveira; de Proteção ao Idoso e à Pessoa com Deficiência, Gabriele Gadelha, além dos promotores de justiça Glória Mafra, Paulo Avelar, Thiago Oliveira Pires, Paula Cortez e Sandra Pontes e representantes da COE Covid 19 e da Comissão de Infectologia.

PF foca operação em municípios, mas ignora fraude em compra de respiradores pelo Maranhão

MA pegou calote de R$ 490 mil na compra de respiradores via Consórcio

Após os fatos, as versões. Em tese, sustenta-se melhor a que tiver mais evidências de verdade. Ou a depender do peso de quem fala. Na coletiva realizada nesta quarta-feira (5), para falar sobre a operação denominada “Falsa Esperança”, que investiga indícios de irregularidades na compra de respiradores pulmonares em três municípios maranhenses, a superintendente da PF no Maranhão, Cassandra Parazzi, afirmou que a empresa Ecosolar vendeu uma série de produtos que não tinha no lastro de compra dela.

“No curso das investigações a gente demonstrou que a empresa vendeu uma série de produtos que não tinha no lastro de compra dela. Ou seja, há um indício de que essa venda não chegou a ser concretizada, que o produto não tenha sido entregue, causando um prejuízo muito grave. Além do desvio de recursos públicos e para o tratamento da Covid-19, que é muito mais grave”, disse.

A quarta-feira ainda não tinha acabado, mas o que se disse à tarde não se sustentou na noite daquele dia. Sobretudo, por um detalhe: as denúncias de irregularidades na compra de respiradores pelo governo do Maranhão também já era de conhecimento público, mas misteriosamente foram ignoradas naquela data pelos agentes federais.

Assim como nos municípios investigados, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) do Maranhão também tomou um calote de R$ 490 mil do Consórcio Nordeste ao tentar efetuar a segunda compra de respiradores por meio do colegiado de governadores.

No entanto, ao investigar a compra desse tipo de produto, a PF ignorou esse fato sem explicar, contudo, o que impediu que a operação “Falsa Esperança” de alcançar o ente estadual.

Se o objetivo era apurar supostos indícios de irregularidades na aplicação de recursos públicos federais no enfrentamento da Covid-19 cabe se perguntar: por quais motivos o governo do Maranhão ficou fora dessa fase das investigações já que também comprou aparelhos que nunca foram entregues, apesar de pagamento antecipado?

Outro caso curioso é que a empresa investigada possui contratos com outros municípios que não foram alcançados nessa fase da operação. Para alguns especialistas consultados pelo blog, não se pode ignorar isso numa investigação como essa, principalmente, segundo eles,  pela forte suspeita que foi evidenciada na divulgação da ação policial.

É por essas e outras que  alguns doutrinadores e criminalistas costumam afirmar que o inquérito policial se sujeita a nulidades que acabam contaminando o processo penal.

PAU QUE DÁ EM CHICO ‘NÃO’ DÁ EM FRANCISCO

A operação “Falsa Esperança” foi desencadeada em meio às denúncias de fraude na compra de respiradores pelo Maranhão. O caso veio à tona em junho pelo deputado Welligton do Curso, que naquele mês, apontou que o Governo do Maranhão efetuou (ou tentou efetuar) duas compras por meio do Consórcio Nordeste, mas não recebeu os respiradores em nenhuma delas.

Na primeira, segundo o parlamentar, o Estado pagou R$ 4,9 milhões por 30 respiradores que nunca chegaram. No início do mês julho a Biogeoenergy protocolou petição no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para negociar a devolução dos valores repassados pela Hempcare Pharma para a aquisição de 380 ventiladores pulmonares para o combate à Covid-19.

Na segunda, o governo pagou R$ 4,3 milhões, também não recebeu os respiradores – seriam 40 -, mas diz que foi ressarcido dos valores pelo consórcio. Agora, sabe-se que o ressarcimento foi feito com deságio.

Apesar dos calotes, o governador Flávio Dino (PCdoB) garante que não houve irregularidades nos procedimentos e a própria PF ignorou. No entanto, no caso envolvendo os três municípios que, diga-se de passagem, é semelhante ao do governo maranhense, a instituição que exerce com exclusividade as funções de polícia judiciária da União resolveu abrir um procedimento para apurar as suspeitas. Neste caso, o pau que deu em Chico não serviu para dá em Francisco.