Arquivo mensais:agosto 2020

“Câmara não se pronunciou”, diz advogado sobre rejeição de contas de Venancinho pelo TCE

Dr. João Gabina, especialista em gestão pública, destacou que reprovação de contas do TCE não gera inelegibilidade automática. “No caso dos prefeitos, o parecer depende da apreciação da Câmara”, esclareceu.

Dr. João Gabina

O advogado João Gabina esclareceu informações publicadas pelo blog sobre a certidão obtida pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) comprovando que o ex-prefeito de Bacabeira, José Venâncio Corrêa Filho – o Venancinho (DEM), estaria com as contas rejeitadas referente ao exercício financeiro de 2008.

Especialista em gestão pública, Dr. João Gabina destacou que desde 2016, nem toda rejeição de contas resulta automaticamente na inelegibilidade do candidato. Segundo ele, no caso dos prefeitos, o parecer do TCE depende da apreciação da Câmara.

“Candidato a prefeito que aparece na relação dos nomes de gestores públicos que tiveram suas contas julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) nos últimos oito anos só fica inelegível eleitoralmente se a Câmara decidir pela aprovação ou reprovação das contas, ou seja, desde que os vereadores discordem ou não do TCE”, esclareceu.

O especialista informou ainda que desde 2016, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que candidatos a prefeito que tiveram contas rejeitadas somente pelos tribunais de Contas estaduais podem concorrer às eleições. De acordo com o entendimento firmado pela Corte, os candidatos só podem ser barrados pela Lei da Ficha Limpa se tiverem as contas reprovadas pelas câmaras municipais.

TEMA POLÊMICA E DIVERGENTE

Embora o especialista tenha esclarecido o assunto, uma dúvida paira na cabeça de muitos bacabeirenses. Afinal, se o parecer da rejeição das contas depende da aprovação ou reprovação da Câmara, o que levou Venancinho a se movimentar no próprio TCE para fazer a Corte de Contas a reapreciar suas contas que já foram transitadas e julgadas?

A resposta pode ser obtida ao avaliar algumas análises de doutrinadores como o Dr. Mauricio Conti, juiz e professor de Direito Financeiro da USP. Em artigo publicado no ConJur, revista eletrônica especializada em notícias ligadas a temas jurídicos, Conti explica que o Supremo gerou polêmica ao decidir sobre julgamento de contas de prefeitos. Segundo ele, a divergência gira principalmente em relação as contas de governo e as contas de gestão.

A primeira é prestada anualmente pelo chefe do Poder Executivo e têm por finalidade demonstrar as atividades financeiras da administração pública do ente federado pelo qual é responsável no exercício financeiro.

A segunda, por sua vez, não é necessariamente anual, mas tem por finalidade demonstrar a aplicação de recursos públicos praticados por aqueles que foram responsáveis por geri-los, e nelas serão observadas a legalidade, legitimidade e economicidade dos atos praticados, regularidade e conformidade de procedimentos, identificando-se e apurando eventuais lesões ao erário e atos de improbidade administrativa.

“Ocorre que, em muitos casos, especialmente nos municípios de menor porte, os prefeitos atuam na condição de administradores e responsáveis por recursos públicos, agindo como ordenadores de despesas e praticando atos de gestão financeira, o que levou os tribunais de contas a, no exercício de suas funções, julgar suas contas. É o que se verifica quando firmam convênios para receber recursos de outros entes da federação, especialmente da União, por meio das transferências voluntárias, devendo administrá-los e prestar contas junto ao ente que lhes transferiu, e que se submetem ao sistema de fiscalização próprio”, explicou.

MPE quer que a Secretaria de Saude regule medidas na pré-campanha

O procurador regional Eleitoral no Maranhão, Juraci Guimarães Júnior, apresentou pedido à Secretaria de Estado da Saúde (SES/MA), para a elaboração de parecer técnico (ou ato equivalente) que regule as medidas sanitárias necessárias nos atos de pré-campanha e de propaganda eleitoral, a fim de reduzir os riscos de propagação da covid-19, em especial aqueles que importem aglomeração de pessoas, como convenções, reuniões, passeatas, caminhadas, bandeiraços, carreatas, comícios e debates. O procurador regional Eleitoral quer, ainda, que a secretaria determine aos agentes públicos sanitários competentes a devida aplicação com a fiscalização dos atos eleitorais mencionados.

Os pedidos têm base na Emenda Constitucional 107/2020, que estabeleceu, no art.1º, § 3º, VI1, que os atos de propaganda poderão ser limitados pela Justiça Eleitoral quando existente parecer técnico da autoridade sanitária nacional ou estadual.

De acordo com o ofício, em todo o território estadual pré-candidatos têm realizado eventos configuradores de pré-campanha que contam com grande número de pessoas, gerando aglomerações que o Decreto Estadual 35.831/2020, elaborado pelo governo do Maranhão, pretende evitar. Dessa forma, os riscos de contaminação e propagação da doença têm se elevado.

Segundo o procurador regional Eleitoral, “é inconcebível que diversas medidas tenham sido tomadas para evitar o contágio da covid- 19, como o próprio adiamento das eleições para novembro, dispensa da biometria, atos que ainda serão realizados daqui a três meses, mas sermos complacentes com situações que estão ocorrendo agora e ocorrerão durante a campanha eleitoral propriamente dita. A edição da portaria pela vigilância sanitária possibilitará que, além dos gestores públicos, os juízes e promotores eleitorais exerçam o poder de polícia eleitoral para evitar esses ilícitos”, disse.

O procurador ressalta, ainda, que “a propaganda eleitoral é fundamental para a campanha, como fonte de publicidade e debate democrático, mas se deve buscar um meio termo a fim de garantir, também, o respeito às normas sanitárias de preservação à saúde e à vida das pessoas”, concluiu.

Gildenemyr destaca projeto que dobra penas de crimes de corrupção durante pandemia

Em entrevista ao Bom Dia Mirante, deputado também falou sobre federalização de rodovias e criticou desvios de verbas para combate ao Covid-19

O deputado federal Pastor Gil (PL) concedeu entrevista, na manhã desta segunda-feira (31), ao programa Bom Dia Mirante, da TV Mirante, afiliada da Globo no Maranhão, e destacou a apresentação de projeto de lei que prevê punição em dobro, durante estado de calamidade pública, para os crimes praticados por funcionário público contra a administração pública(PL 3276/2020). O texto altera o Código Penal entra na pauta de votação nesta terça-feira (01), na Câmara dos Deputados.

“Por que apresentei tal proposta? Basta verificar os números da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. De abril até agora já foram 42 operações com investigação de desvio de mais de 1,3 bilhão de reais de recursos de combate à Covid-19. Compras superfaturadas, compras feitas e material nunca entregue. Isto atinge já 9 estados. Já temos no MA operações do tipo. Operação até em São Luís. Não há como mensurar o prejuízo que estes desvios causam a sociedade porque estamos falando de vidas diante de uma pandemia ainda não vista no mundo. Milhares de pessoas morrendo. Como um gestor consegue desviar um recurso deste tipo que pode salvar vidas? A pena tem que ser maior mesmo. Esta é nossa proposta”, informou.

De acordo com o parlamentar, enquadram-se nessa categoria crimes como corrupção passiva; peculato (apropriar-se de valores); prevaricação (deixar de exercer o que lhe é de dever); concussão (exigir vantagem indevida), entre outros. A proposta também estabelece punição em dobro, por ocasião de calamidade pública, para os crimes de corrupção ativa e fraude em licitações.

O deputado Pastor Gil está em seu primeiro mandato, e vem se destacando em sua atuação, estando presente nos momentos que a população mais necessita. Começou bem ante de conseguir seu primeiro mandato, e quando se elegeu intensificou cada vez mais uma luta insanável em prol de todo o Maranhão. A exemplo, ao combate ao coronavirus, onde foi o parlamentar maranhense que mais apresentou propostas durante o período de pandemia.

Durante a entrevista, ao ser abordado sobre a reunião do diretor geral do DNIT, General Santos Filho, com a bancada maranhense, o parlamentar afirmou que fez algumas cobranças em relação a obras de algumas rodovias federais que cortam o Maranhão, mas informou que dinheiro teve. O que faltou foi compromisso.

“Fizemos cobranças com toda certeza. Cobramos porque é nossa função. Porque somos cobrados pela sociedade. É cobrado de forma justa já que de verba pública já foram aplicadas mais de 1 bilhão de reais somente na BR-135. Desde 2012, Cabalau, são direcionados recursos para a duplicação esta rodovia. Num projeto, que no primeiro trecho, estava orçada em R$ 370 milhões. Somente a bancada, desde 2016, já destinou mais de R$ 800 milhões. Então, sabemos que não faltou verba. Dinheiro teve. O que faltou foi compromisso com a obra”, esclareceu.

Gildenemyr falou ainda sobre federalização de rodovias e explicou os motivos que o levaram a apresentar proposta nesse sentido. De acordo com o parlamentar, o objetivo é garantir um acesso melhor ao Centro de Lançamento de Alcântara que será um dos pontos mais importantes do estado.

“As MAs 106 e 014 são portas de entrada para Alcântara e a MA 402, que é que vai para Barreirinhas. A idéia, claro, é garantir um acesso melhor ao Centro de Lançamento de Alcântara que será um dos pontos mais importantes do estado. Com toda certeza haverá necessidade do uso rodoviário para chegada de material, por exemplo. Sobre a MA 402, estamos falando de um dos pontos turísticos mais visitado do Brasil. O que temos muito são turistas chegando a São Luís e partindo para conhecer os Lençóis Maranhenses. Mas o acesso é ruim. O que se precisa é um olhar mais atento do governo federal para nosso estado já que estados com malha viária menor que a nossa recebem mais recursos. E estas, MAs que proponho a federalização, como toda certeza, ficarão melhor sob o comando da União”, concluiu.

O congressista tem se mostrado muito à vontade com a rotina do Poder Legislativo, demonstrado excepcional habilidade de articulação, mesmo não vindo de berço político ou de família tradicional política maranhense, ele vem despontando como peça chave na discussão sobre a sucessão em São Luís.

Venancinho é ficha-suja e não pode se candidatar em Bacabeira, diz certidão emitida pelo TCE

Ex-prefeito de Bacabeira, Venancinho

Certidão obtida pelo blog na manhã deste domingo (30/08), no site do Tribunal de Contas do Estado (TCE) comprova que o ex-prefeito de Bacabeira, José Venâncio Corrêa Filho – o Venancinho (DEM), como é mais conhecido na cidade, está inelegível desde o dia 27 de fevereiro de 2018, depois que a Corte de Contas decidiu rejeitar o seu balanço fiscal referente ao exercício financeiro de 2008.

A decisão é por órgão colegiado, um dos critérios que enquadram político na Lei da Ficha Limpa, que estipula punição de oito anos sem participação efetiva em eleições aos condenados. Assim, Venancinho não pode se candidatar em 2020.

De acordo com a certidão eletrônica, constam três processos contra o democrata bacabeirense que foram transitados em julgados e não cabem mais recursos. A consulta foi realizada com base nas informações registradas no Sistema de Processo Eletrônico – SPE do Tribunal de Contas, e nos termos da portaria nº 1294, de 13 de novembro de 2013.

O texto do documento que revela a suposta inelegibilidade do ex-prefeito destaca que as contas julgadas irregulares de responsabilidade de Venancinho são relativas ao período dos últimos 8 (oito) anos, a contar desta data.

UM ‘FICHA SUJA’ TEIMOSO
Mesmo sem condições de elegibilidade para disputar as eleições deste ano, Venancinho sustenta na cidade o discurso de que poderá ser candidato a prefeito mais uma vez.

Mas sua situação que já era ruim no TCE com os processos transitados em julgados, quando não cabem mais recursos, piorou depois de uma condenação da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), em setembro de 2015, por improbidade administrativa, num julgamento que teve como relator o desembargador Marcelino Ewerton.

O ex-prefeito se apega a uma liminar, mas por ser uma ordem judicial provisória, ela pode cair a qualquer momento: antes, durante ou depois das eleições. Situação semelhante ocorreu em 2008, quando Venancinho disputou com problemas jurídicos na chapa e acabou não assumindo por conta de liminar que ‘caiu’ logo após as eleições daquele ano.

A condenação que piorou a situação jurídica de Venancinho resultou de ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA), que apontou irregularidades contábeis na aplicação de percentuais mínimos constitucionais exigidos para manutenção dos serviços públicos de saúde e educação, conforme processo nº 0370952014.

Certidão mostra que Venancinho tem contas julgadas irregulares e está fora das eleições

TRUQUE NÃO VAI FUNCIONAR
Sabendo da situação complicada, Venancinho resolveu buscar alguns ‘mágicos’ para tentar mudar sua situação. Prova disso, por exemplo, é que movimentações no Tribunal de Contas do Estado (TCE) levam a crer que está em andamento uma operação para tornar ficha limpa o ex-prefeito bacabeirense. Seria uma espécie de “truque jurídico” para livrar o democrata bacabeirense da ficha suja e viabilizar sua candidatura às eleições deste ano no município, mas o caso é complexo e nem mesmo os ilusionistas do TCE devem o salvar da inelegibilidade.

DOCUMENTO
Clique aqui e baixe a certidão comprovando que Venancinho está inelegível

Duarte Jr resume em vídeo trajetória de resultados e de vida diferente de políticos tradicionais

Desde que o pré-candidato à Prefeitura de São Luís Duarte Jr (Republicanos) publicou na noite de quinta-feira (27) em suas redes sociais um vídeo em que resume sua trajetória de vida, uma grande repercussão vem sendo gerada.

Apenas no Instagram, mais de 11 mil visualizações e mais de 360 comentários positivos em menos de 24 horas (o Facebook no mesmo período registrou mais de 20 mil views) demonstram a identificação que seus seguidores têm com sua história simples, sem origem em família privilegiada com alto poder aquisitivo.

“Vamos resolver! Só vi e ouvi verdades… Eis a diferença que tanto incomoda! Venceremos, meu amigo. A luta será árdua, mas haverá vitória”, diz um dos calorosos comentários no Instagram.

Diferentemente da grande maioria dos políticos, que costumam receber influência dos pais e fazem carreira à frente de cargos públicos eletivos, Duarte faz um relato, apoiado com imagens de várias fases e de atividades que desenvolveu, mencionando ter sido vendedor de chocolate, de chip para telefone celular, participação em programa televisivo voltado para o público infantil – no qual se caracterizava de palhaço -, atendente em cantina de colégio e que utilizou ônibus gratuito para chegar ao local de estudo.

No vídeo, Duarte Jr também comenta sobre suas gestões exitosas à frente do PROCON e do VIVA Cidadão, entre 2015 e 2018, oportunidades que teve ao ser convidado por seu ex-professor do curso de mestrado da UFMA.

“Passei no mestrado da UFMA. E, lá, tive a sorte de ter Flávio Dino como professor. Ele me deu a oportunidade de uma vida. Acho que Dino viu em mim um cara bom pra resolver problema. E aí me chamou pra arrumar o PROCON. Fui lá e resolvi.”

Com produção simples, no vídeo que tem um minuto e quarenta e seis segundos, Duarte enfatiza a intenção de se apresentar como uma opção diferente das que puderam representar o executivo municipal ao longo dos anos.

“Se você procura alguém que vem de família de políticos, com grande estrutura e muito dinheiro, eu talvez não seja o seu candidato. Agora, se você procura alguém que vai brigar por você, que vai lutar pra defender os seus direitos, aí, eu te peço que me conheça um pouco mais.”

Antecedentes podem impedir vereador em Santa Rita de homologar acordo com MP para trancar ação

Falta de punição por quebra de decoro faz Jancimauro envergonhar a Câmara e o povo de Santa Rita

A juíza Karine Lopes de Castro, titular da 18ª Zona Eleitoral de Rosário, deferiu solicitação do acordo de não persecução penal celebrado pela Promotoria do Ministério Público com o vereador de Santa Rita, Jancimauro Campos Albuquerque (PCdoB) – por meio do qual, cumpridas as condições pelo investigado, a ação é arquivada. O parlamentar é alvo de notitia criminis por fake news com fins eleitorais em ação proposta pelo PMN de Santa Rita.

Em seu despacho, publicado no último dia 24 deste mês, a magistrada rosariense determinou à Comarca de Santa Rita a expedição de certidão para que informe no prazo de 10 dias eventuais antecedentes criminais do noticiado visando a fundamentação da decisão sobre a homologação do pleito.

Ocorre que o parlamentar santa-ritense pode não se enquadrar dentro dos critérios estabelecidos pela regra. Novo na legislação brasileira, o acordo introduziu no ordenamento jurídico a figura da despenalização, que consiste em ajuste passível de ser celebrado entre o Ministério Público e o investigado, acompanhado por seu advogado, e que, uma vez cumprido, acarretará a extinção da punibilidade.

No entanto, para ter validade, o réu deve ser primário, ter bons antecedentes e não ter sido beneficiado com acordo nos últimos cinco anos. Em termos de critério subjetivo, é preciso ver se o acordo é suficiente para prevenção e reprovação do crime. Além disso, a regra diz que vale para crimes com pena de até quatro anos, que não tenham violência, incluindo doméstica, ou grave ameaça contra a vítima.

O blog fez um levantamento para avaliar se Jancimauro pode se enquadrar dentro do dispositivo e descobriu que a ficha corrida do parlamentar pode ser um impeditivo para concessão do benefício.

De acordo com informações obtidas, Jacimauro está sendo alvo de uma série de acusações de quebra de decoro parlamentar em diversos casos, incluindo supostos calotes no mercado que resultaram em processo de execução na justiça. Segundo as denúncias, o vereador teria mais de 25 boletins de ocorrência e já foi, inclusive, condenado por comprar escavadeira hidráulica com cheques sem fundos.

Vereador de Santa Rita é condenado por comprar escavadeira hidráulica com cheques sem fundos

ESCÂNDALOS SEM CASTIGO

Na esteira de uma série de denúncias que estão vindo à tona, o parlamentar já foi flagrado até dormindo bêbado sentado numa cadeira, postura inadequada para um parlamentar. Uma das acusações que pesam contra Jacimauro Albuquerque é a de que ele teria atirado em uma pessoa de Itapecuru que lhe foi cobrar uma dívida.

Albuquerque também se envolveu em outras polêmicas incompatíveis com o mandato, inclusive, com seus próprios pares de parlamento. Num dos episódios, chegou a xingar publicamente, seu colega de plenário Joãzito, um dos mais idosos da Câmara. O parlamentar também teve um ‘quiproquó’ com o vereador Rosmino Melo.

Além disso, ele fez gravações mentindo ao dizer que o deputado federal Dr. Gonçalo nunca foi eleito nem para presidente de bairro e que o mesmo nunca mandou emenda pra Santa Rita, o que não é verdade. A última vez que Jacimauro aprontou uma das suas, foi quando pegou um tapa do vereador Ivo André, após falar impropérios. Vídeos e gravações dessas confusões, segundo apurou o blog, podem ser usado pela comissão processante para avaliar algumas destas infrações.

Agora, além das supostas práticas criminosas, de improbidade, da quebra de decoro, Jacimauro foi condenado   por criar e propagar fake news contra a Caixa Econômica. Além da condenação, o parlamentar foi obrigado a retirar do seu perfil no Facebook uma informação que macula a imagem da instituição financeira, sob pena de pagamento de R$2 mil por descumprimento da decisão.

Justiça condiciona homologação de acordo ao envido das certidões de antecedentes criminais de Jancimauro

SAIBA MAIS

A recente modalidade de acordo, adotada no caso de Jancimauro Albuquerque, foi regulamentada por meio da Lei Anticrime, do ano passado. Vale para crimes com penas mínimas não superiores a quatro anos, praticados sem violência ou grave ameaça.

Não se aplica, por exemplo, em caso de delitos previstos na Lei Maria da Penha. O investigado confessa o crime e paga a multa. Com isso, evita a abertura de ação penal e continua réu primário.

Albuquerque confessou ao MP ter praticado o ato, mas alegou que por ser vereador do município, sua fala ou discurso são invioláveis, embora haja controvérsia na doutrina e na jurisprudência quando se trata de termas fora da tribuna do legislativo.

Para evitar uma ação por crime eleitoral que poderia lhe deixar inelegível e fora das futuras eleições, ele aceitou fazer o acordo de não persecução penal com a representante do Parquet Eleitoral.

O acordo foi enviado à juíza da 18ª Zona Eleitoral de Rosário para homologação. No último dia 24 deste mês, a magistrada deferiu a solicitação ministerial, mas condicionou a homologação do acordo às certidões de antecedentes criminais que devem ser enviadas pela Comarca de Santa Rita no prazo de 10 dias.

TSE veta candidatos de participar de lives artistas

Por unanimidade, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou, em sessão extraordinária nesta sexta-feira (28), que candidatos não podem participar de lives promovidas por artistas com o intuito de fazer campanha eleitoral.

O posicionamento do Tribunal é uma resposta a uma consulta feita pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), na qual a legenda questiona se seria legítima a participação de candidatos em eventos virtuais não remunerados, como as transmissões ao vivo de artistas pela internet, ideia que tem recebido o nome de “livemício”.

Diante da pandemia causada pelo novo coronavírus e das medidas de isolamento social recomendadas por autoridades de saúde, o partido questionou se a regra do parágrafo 7º do artigo 39 da Lei nº 9.504/1997 (Lei das Eleições) permite realização de apresentação dos candidatos aos eleitores juntamente com atores, cantores e outros artistas por meio de shows (lives eleitorais) não remunerados e realizados em plataforma digital.

Em seu voto, o ministro relator, Luis Felipe Salomão, destacou que a proibição compreende não apenas a hipótese de showmício, como também eventos assemelhados e alcança eventos dessa natureza.

Ele lembrou que a Emenda Constitucional nº 107/2020, que trouxe modificações significativas no calendário eleitoral justamente por força da pandemia, não abriu espaço para qualquer ressalva a autorizar interpretação diferente da regra prevista na Lei das Eleições.

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, lembrou que a constitucionalidade da norma que proibiu a realização de showmício (Lei nº 11.300/2006) está sendo questionada no Supremo Tribunal Federal (STF), particularmente na hipótese em que não haja remuneração.

“No entanto, como há um texto legal em vigor não declarado inconstitucional, penso que a posição adotada pelo ministro Luis Felipe Salomão é a que corresponde à interpretação adequada da lei em vigor”, finalizou.

Funcionária dos Correios é presa furtando encomendas

A Polícia Federal no Maranhão (PF) prendeu em flagrante, na tarde desta sexta-feira (28), uma funcionária suspeita de furtar mercadorias do Centro de Distribuição Domiciliar dos Correios na cidade de Caxias, localizada a 360 km de São Luís.

A identidade da mulher não foi divulgada pela Polícia Federal. Durante a abordagem, foram encontradas escondidas inúmeras mercadorias destinadas às cidades de Coroatá e Codó escondidas em um compartimento da motocicleta da funcionária.

Segundo a PF, a ação contou com a colaboração dos Correios. A suspeita deve responder pelo crime de peculato, que prevê pena de reclusão de dois a 12 anos de prisão, além de multa.

Após a prisão, a mulher foi encaminhada ao Sistema Penitenciário do Maranhão onde deve permanecer à disposição da justiça.

Carlos Madeira oferece vice e protagonismo ao MDB

Em entrevista ao Ponto Final, na Rádio Mirante AM, o pré-candidato a prefeito de São Luís, Carlos Madeira, pelo Solidariedade, afirmou que diálogos vem sendo realizados com o MDB na busca de alianças partidárias. “A história do partido requer protagonismo”, enfatizou.

Madeira falou de suas propostas de melhoria para São Luís, de um modelo participativo de fazer a nova política, sem os vícios do passado. “Uma gestão em conformidade com os valores de transparência plena e eficiência que defendemos desde o princípio, independentemente de bandeira partidária”.

Diálogos com o MDB – Madeira informou que ofereceu o cargo de vice-prefeito ao MDB e ressaltou que em sua gestão será criado o Conselho Administrativo. “Não pra ficar enclausurado em uma sala, sem assessoria, sem condições. A gestão se dará por meio de um Conselho de Administração em que o prefeito, o vice, o representante da Câmara, dos servidores, da sociedade possam mensalmente deliberar sobre o destino da cidade”, explicou.

“Ofereci também ao MDB a possibilidade deles trazerem suas propostas para São Luís para serem incorporadas como plano de governo. Ofereci aos representantes do partido a oportunidade de serem nomeados Secretários Municipais tendo como critério a eficiência e competência”, disse o ex-juiz federal.

Segundo o pré-candidato do Solidariedade, o MDB poderia ser um grande parceiro para construir essa nova vertente política pra 2022.

Madeira informou ainda que “é preciso olhar para o homem da grandeza de José Sarney, que já prestou um grande compromisso com a história do Brasil e do Maranhão e que pode contribuir ainda com a sua experiência.”

PSDB troca Wellington do Curso por Eduardo Braide

O PSDB oficializou, nesta sexta-feira (28), o apoio à pré-candidatura de Eduardo Braide (Podemos), na disputa da eleição para prefeito de São Luís. O anúncio foi feito durante reunião do partido pelo presidente do PSDB, em São Luís, ex-vereador Roberto Rocha Jr.

“O PSDB é um partido, não um cartório para registrar candidaturas. Sempre foi um partido. Existe projeto pessoal, projeto de partido e projeto político. No Maranhão temos que ter um projeto político, que busque casar uma eleição a outra. Em 2018, recebemos o apoio do PMN do Eduardo Braide. Na ocasião, foi anunciado na convenção do PSDB e também do PMN, na presença de todos os tucanos, nosso apoio irrestrito à candidatura de Eduardo Braide para prefeito de São Luís. Agora, em 2020, Eduardo Braide anuncia o compromisso de apoiar nossos candidatos majoritários em 2022. Esse casamento não se restringe à capital do nosso estado”, destacou.

A aliança entre PSDB e Podemos é válida para todo o Maranhão. Em Impertariz, por exemplo o Podemos apoiará a pré-candidatura de Sebastião Madeira, dos Tucanos.

Roberto Jr explicou os motivos pelo qual o PSDB abriu mão da pré-candidatura do deputado estadual Wellington do Curso.

“O deputado Wellington, que tem todo nosso respeito, colocou para o PSDB sua pré-candidatura como qualquer outro companheiro poderia fazê-lo. É um direito!!! Apesar de tudo o que foi dito anteriormente, o PSDB deu a ele a oportunidade de se viabilizar e chegar na hora da decisão em melhores condições de ser o nome das oposições unidas. Claro, foi condicionado a uma avaliação da circustância no momento da decisão. O PSDB nacional mandou fazer algumas pesquisas, e a que foi determinante para a tomada da decisão foi a última, cujo resultado saiu há poucos dias. Nela, fica evidente o favoritismo do deputado Eduardo Braide, do nosso campo político, e mais que isso, a possibilidade dele vencer no primeiro turno, se tiver o apoio do PSDB e outros partidos do nosso campo como PSD e PSC, que já os apoiam”, destacou.

Nas redes sociais, o pré-candidato Eduardo Braide agradeceu o apoio do PSDB.

“Pessoal, fico feliz em dizer a vocês que agora temos o apoio do PSDB! Agradeço ao partido e seu presidente, o senador Roberto Rocha, pela confiança em nosso projeto para fazer uma São Luís melhor. O nosso time está cada vez mais forte e não para de crescer”, disse Braide.

Além do PSDB, Eduardo Braide conta com o apoio do PSD, PSC e PMN.