Arquivo da categoria: Notícias

Prefeito de Bom Jardim é afastado do cargo por 120 dias

A pedido do Ministério Público do Maranhão, em agravo de instrumento interposto contra decisão proferida pelo juízo da Comarca de Bom Jardim, a 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão concedeu liminar, nesta segunda-feira, 21, para determinar o afastamento do prefeito de Bom Jardim, Francisco Alves de Araújo, pelo prazo de 120 dias.

Na decisão, foi determinada ainda a notificação da Câmara de Vereadores de Bom Jardim, para que, no prazo de 72 horas, sejam adotadas as providências para dar posse ao vice-prefeito do Município. Também devem ser comunicadas as instituições financeiras em que são movimentados os recursos públicos municipais sobre a alteração na chefia do Poder Executivo local.

No recurso do Ministério Público, formulado pelo titular da Promotoria de Justiça de Bom Jardim, Fábio Santos de Oliveira, foi requerida a revogação da decisão do juízo de 1º grau, que negou o pedido de indisponibilidade dos bens dos agravados Jonathan Davemport de Carvalho, Francisca Alves de Araújo e Antônio Gomes da Silva. Neste item, a relatora do processo, desembargadora Anildes Cruz, indeferiu o requerimento por considerar que “não restaram configurados os elementos necessários à concessão da medida de indisponibilidade, vez que ainda não é possível constatar, de plano, que possuam ligação de forma direta com o processo licitatório inquinado de irregular”.

Ibope comprova que eleitores de Wellington do Curso não migraram e podem decidir eleição em São Luís

Na última segunda-feira (21), foi divulgado o resultado da pesquisa Ibope, a primeira realizada após a traição sofrida por Wellington do Curso que o impediu de ser candidato. Fato curioso é que, ao se avaliar os percentuais, observa-se que os votos de Wellington não migraram para nenhum outro candidato. Apesar de ter sido vítima de uma traição articulada pelo senador Roberto Rocha que decidiu apoiar Eduardo Braide, Wellington do Curso oscilava entre o 2º e 3º lugar nas pesquisas anteriores.

Sobre o resultado da pesquisa, Wellington agradeceu aos seus eleitores por seguirem firmes com ele e afirmou que permanecerá na luta por uma São Luís melhor.

“A pesquisa comprova que os nossos eleitores estão conosco em todos os momentos. Não são votos comprados, mas sim votos limpos, honestos e conscientes. Fomos vítimas de uma grande traição, mas não acabaram com o sonho de ser prefeito. Apenas adiaram esse sonho. Seguirei firme na luta por uma São Luís melhor e não irei decepcionar essas pessoas que confiam em mim. Tenho avaliado as propostas dos outros candidatos e, nos próximos dias, devo anunciar quem irei apoiar”, disse Wellington.

Ainda nos últimos dias, Wellington percorreu alguns bairros de São Luís para ouvir a opinião das pessoas, já listando cerca de 1.500 maranhenses.

“Seguimos ouvindo a opinião das pessoas para escolher o que é melhor para São Luís. Nas últimas semanas, ouvimos mais 300 pessoas. Somando isso às 1.200 pessoas que também já deram sua opinião, temos cerca de 1.500 sugestões para garantir que os ludivicenses sejam ouvidos antes de anunciar o apoio”, disse Wellington.

Em 4ª tentativa, líder comunitária Célia Rocha busca vaga de vereadora em Bacabeira

Conheça a história da candidata do PSL que desde cedo aprendeu a vencer as dificuldades

Célia ao lado de sua companheira Elaine (Fotos: Arquivo pessoal)

“Comovente”. Assim pode ser definida a história de Célia Cristina Rocha, ou Célia Rocha, como é mais conhecida. Filha mais nova de seis irmãos, ela nasceu na comunidade Tapera, em Peri de Cima – município de Bacabeira, no dia 19 de abril de 1969. Ainda muito pequena mudou-se com sua mãe Maria da Conceição Rocha Corrêa para o povoado José Pedro, onde conviveu com ela até os 68 anos, vindo a falecer no dia 31 de janeiro 2002.

Filha de mãe solteira, Célia Rocha teria tudo para se tornar amargurada, sem objetivos, sem perspectivas de vida, sem propósitos, mas Deus tinha um plano para sua vida. No entanto, ao contrário de muitas outras histórias que você já deve ter ouvido, ela ousou ser mais, batalhou e não se acovardou, estudou, formou-se em Educação Física, prestou concurso público e hoje é funcionária da Prefeitura de Bacabeira, alcançando também sua estabilidade.

Quadra poliesportiva de José Pedro, pedido seu para a prefeita. “Só tenho à agradecer”.

A partir daí, ela passou a escrever sua própria história. Casou com a funcionária pública Elaine, com quem já convive há alguns anos. Célia Rocha é personagem desta semana da série de reportagens especiais que o PSL bacabeirense vem disponibilizando em seus perfis das redes sociais para mostrar um pouco do histórico de cada um dos pré-candidatos nas eleições proporcionais de 2020 no município.

Em entrevista ao titular do blog, a candidata a vereadora que desde cedo aprendeu a vencer as dificuldades, explica os motivos que o levaram a disputar uma vaga na Câmara de Bacabeira pela 4ª vez no município.

Célia é uma incentivadora do esporte, principalmente do futebol feminino

TRAJETÓRIA POLITICA

Com o anseio de quem tem sede de mudança decidiu concorrer ao mandato de vereadora da cidade pela primeira vez em 2004, mas não logrou exito e obteve na época apenas 50 votos. Ela voltou a concorrer novamente oito anos depois, nas eleições de 2012, quando conquistou 125 votos. A última vez que se aventurou nas urnas foi no último pleito municipal em 2016, quando alcançou apenas 89 votos

A vontade de representar o povo aliada ao seu caráter e perseverança, a fizeram ainda mais incansável. Esses mesmos ideais ela espera levar para o parlamento, caso venha lograr exito na disputa de 2020. Com pulso forte e coração imenso ganhou espaço no cenário político e vem se sobressaindo por sua atuação maciça e ações concretas como presidente da Associação de Moradores do José Pedro. Sendo assim uma representante engajada com as questões da nossa cidade e como ela mesmo defende, “não tem promessa de campanha tem compromisso com o povo”.

Ela exibe com orgulho o certificado de conselheira do Pacto pela Paz

Célia mostra com orgulho, algumas das ações realizada como líder comunitária. Nessa função, conquistou vários investimentos para a localidade como, por exemplo, a construção de uma quadra esportiva, solicitação de asfaltamento da comunidade e várias outras conquistas.

Pensando numa nova maneira de fazer política, desde o início de sua tratória, Célia mostrou que veio para lutar pela sociedade nas questões que afligem a população como saúde, infraestrutura, transporte, educação, esporte/lazer e cultura. Prova de sua atuação diferenciada, é que ela arregaçou as mangas e colocou em prática uma de suas maiores bandeiras: o esporte.

Célia está sempre apoiando as ações dos pescadores de sua comunidade

“Hoje vou disputar a quarta eleição com o propósito de estar ao lado do povo, por conhecimento das grandes necessidades de um parlamentar no dia dia dos nossos conterrâneos, pois a falta dos nossos representantes na Câmara é muito grande nas nossas comunidades. Hoje sou representante da Associação de Moradores do Povoado de José Pedro, mas meu forte também é o esporte. Eu dou grande assistência para algumas agremiações, conheço todos os povoados da nossa querida Bacabeira, tenho o conhecimento da falta de um vereador nas comunidades para os diálogos mais urgentes. O vereador tem direitos e deveres, mas, nem todos cumpriram com seus deveres e não merecem o direito de voltar a representar o povo”, desabafou.

QUEM É ELA?

Célia Cristina Rocha, conhecida por Célia Rocha, é funcionária pública, nasceu na Tapera Peri de Cima, no dia 19/04/69. Ela é casada com Elaine que tem todo o seu respeito e cria com muito amor e carinho o pequeno Kevin Cauã, garoto que cria como seu filho. Filha de Maria da Conceição Rocha Corrêa, que era conhecida popularmente por Maroca, se mudou para José Pedro onde conviveu com sua genitora até os 68 anos.

Célia tem seis irmãos e foi criada sem pai, já que sua genetriz era mãe solteira e tinha suas tarefas pesadas para criar sua prole. A saudosa Maroca – como era mais conhecida – foi uma mulher muito pobre e vivia do seu trabalho digno para dá aos filhos bons exemplos.

Ela ao lado do de Kevin Cauã, garoto que cria como seu filho

“Agradeço à Deus todos os dias, pois eu e meus irmãos não tivemos o melhor alimento, as melhores roupas, muitas vezes não íamos às repartições por não tê-las. No entanto, Deus dava para nós [filhos] a maior e melhor riqueza que um filho pode ter de sua mãe: calor, carinho, confiança, e um bom exemplo para sua criação”, destacou.

Ela lembra que na sua casa não tinha nada [nenhum objeto] de valor, mas possui seu ouro mais valorizado: a sua mãe, uma mulher pobre da roça, da cozinha dos grandes fazendeiros da época (José Baiano, Hermógenes, Nelson e o grande Saudoso Benedito Coelho, todos falecidos), mas com um grande coração.

Célia lembra que foram os vizinhos que ajudaram sua mãe a criar seus irmãos. “Essas pessoas ajudaram muito a nossa mãe a nos criar, muitas vezes ela saia cedo para roça e deixava eu e meu irmão mais novo João em casa, e nós dois íamos para a casa dos vizinhos mais próximos, João Alemão ou Antonio Garrafa, passávamos o dia por lá, muitas vezes merendávamos por lá mesmo, até a nossa mãe chegar da roça pôr volta das 18h00 e ela ia preparar aquele batido de jongome, vinagreira, quiabo e com farinha seca, nós jantávamos felizes da vida”, contou.

Mãe dedicada, ela está sempre acompanhando Kevin Cauã nas ações sociais e na escola

A candidata do PSL conta que não tinha aquela vontade de ir à escola, pois faltava àquele incentivo. Ela, entretanto, não culpa a mãe, pois o tempo que ela tinha era do trabalho para sustentar a família.

“Deus abriu a segunda porta na minha vida, ao passar um dia na casa da família do senhor Benedito Coelho (já falecido) e sua esposa Zezé Coelho, fiquei até o dia de hoje, digo isso por que é minha outra família, pois ali tive uma boa alimentação, uma boa educação, escola. A Zezé Coelho tem todo o respeito que um filho tem com sua mãe e é a minha melhor amiga”, relata.

Como presidente da Associação de Moradores de José Pedro, tenta buscar melhorias para aquela comunidade

JOGO RÁPIDO

ISAÍAS – Onde você estudou e se formou?

CÉLIA – Fiz meu primário na Escola Municipal José de Castro Viana, na comunidade de José Pedro e o 1º grau no CEMA, na sede de Bacabeira, mas o 2º Grau cursei no Colégio Nascimento Moraes, em Rosário (Magistério). Em 2015, me formei em Educação Física.

ISAÍAS – Você já concorreu ao cargo quantas vezes?

CÉLIA – Fui candidata em 2004 para compor chapa e tive 50 votos, em 2012 conquistei 125 votos e em 2016 alcancei 89 votos. Espero que desta vez eu possa lograr exito nas eleições deste ano.

ISAÍAS – Por que você quer ser vereadora?

CÉLIA – Tá na hora da mudança! Vamos acreditar que podemos fazer a diferença com as mulheres, dando aquela oportunidade que realmente nós merecemos como eleitores, pois nós temos um grande exemplo dentro da nossa querida Bacabeira, a administração atual da prefeita Fernanda Gonçalo, uma mulher que realiza um brilhante trabalho e é esse exemplo que o povo quer e merece. Acredito que chegou a hora de nós mulheres conquistarmos a confiança e o respeito da população bacabeirense. Eu quero ser representante legislativo, eleita pelo povo e ter como função legislar, criar leis que tornem a sociedade mais justa e mais humana.

ISAÍAS – O que sua mãe representa em sua vida?

CÉLIA – Minha mãe é minha heroína

ISAÍAS – Que palavra define a amizade com dona Zezé Coelho, sua segunda mãe?

CÉLIA – A palavra é gratidão. Sou grata a ela por tudo.

ISAÍAS – Qual mensagem você vai carregar nessa campanha?

CÉLIA – Nas mãos de Deus, o impossível se torna possível.

ISAÍAS – Célia, deixou você com suas considerações finais

CÉLIA – Isaías, agradeço a oportunidade de contar um pouco da nossa história e falar das pretensões na Câmara. Deixo aqui os meus agradecimentos à Deus, e um grande abraço para todos vocês.

Venancinho apresenta certidão de quitação eleitoral, mas continuará sem poder votar e ser candidato em Bacabeira

Ele  até’regularizou’  seu título, porém, vai continuar inelegível para as Eleições 2020 já que atualização de seus dados na Justiça Eleitoral somente poderá ser feita no mês de dezembro de 2020 – após o pleito municipal, quando o cadastro eleitoral será reaberto

Venancinho apresenta certidão de quitação, mas continua inelegível em Bacabeira.

Tem um provérbio que diz “a mentira corre e cansa, mas a verdade anda e alcança”. A expressão se encaixa ao ex-prefeito de Bacabeira, José Venâncio Correa Filho – o Venancinho (DEM), que mandou divulgar na imprensa uma certidão eleitoral para comprovar sua “quitação eleitoral”. Mas como a “mentira tem perna curta”, logo a verdade apareceu: o próprio documento usado para dizer que o democrata estaria “apto a disputar” as eleições deste ano, comprova que ele continua inelegível para o pleito deste ano.

O motivo, segundo a referida certidão, é que que a atualização de seus dados na Justiça Eleitoral somente poderá ser feita no mês de dezembro de 2020 – um mês após a disputa de novembro, quando o cadastro eleitoral será reaberto. Ou seja, embora tenha procurado o Cartório Eleitoral para ‘regularizar’ o título, Venaninho não poderá votar e nem ser candidato em Bacabeira nas Eleições 2020 devido aos prazos eleitorais estabelecidos pela legislação.

VEJA TAMBÉM:
Venancinho está com título de eleitor suspenso em Bacabeira, diz TSE

De acordo com o calendário das eleições 2020, instituído pela Resolução nº 23.627, o prazo para regularização da situação com a Justiça Eleitoral e votar [ou ser candidato] nas Eleições Municipais de 2020 terminou no dia 5 de maio, conforme art. 91 da Lei nº 9.504/1997.

Segundo o ordenamento, o período para regularização do título, de até 150 dias antes das eleições, é estipulado pela legislação eleitoral e, de acordo com o TRE, não foi prorrogado este ano, embora o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tenha realizado mudança na data das eleições devido a Emenda Constitucional nº 107/2020.

Certidão que atesta ‘elegibilidade’ de Venancinho não passa no detector de mentiras

Portanto, quem não fez a solicitação na data prevista não poderá votar [nem ser candidato] nas eleições de 15 de novembro como é o caso, por exemplo, de Venancinho que só procurou o Cartório Eleitoral após o prazo estabelecido já que na data limite, conforme as informações, ele ainda não possuía nenhuma liminar que pudesse lhe dar garantias de elegibilidade. Os tramites, entretanto, não acompanharam o calendário eleitoral no que tange a regularização do título de eleitor, mesmo com uma decisão judicial provisória à seu favor.

O QUE DIZ A LEGISLAÇÃO?
De acordo com a regra, o título eleitoral pode ser suspenso quando o eleitor esteja em cumprimento do serviço militar obrigatório (conscrito); tenha sido condenado criminalmente com sentença transitada em julgado, condenado por improbidade administrativa ou declarado incapaz para os atos da vida civil (incapacidade civil absoluta). Em tais situações, não poderá votar enquanto durarem os efeitos, tendo os seus direitos políticos suspensos.

COMO REGULARIZAR?
Para requerer a regularização de título eleitoral suspenso, o eleitor deve encaminhar seu pedido de restabelecimento de direitos políticos por meio do Requerimento ao Cartório Eleitoral Virtual, ao cartório da inscrição.

O pedido de restabelecimento solicitado a partir de 30 de junho terá efeito somente na certidão de quitação eleitoral. A reativação do título eleitoral suspenso ocorrerá somente após as eleições (a partir de 9 de dezembro de 2020). No entanto, para quem quer ser candidato nas eleições deste ano, o prazo de regularização deveria ser até o dia 4 de abril, conforme a legislação em vigor.

Site do TSE mostra que título de Venancinho segue suspenso (Foto: Reprodução/TSE)

QUER CONFERIR A VERDADE? 
Caso tenha dúvida sobre a situação eleitoral do candidato Venancinho, o eleitor bacabeirense pode conferir se o democrata está regular com a Justiça Eleitoral. O portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na internet oferece diversos serviços e informações ao cidadão, disponíveis na aba Eleitor, localizada na barra superior do site.

Na seção Serviços, o eleitor pode conferir sua situação eleitoral (se está regular ou com pendências na Justiça Eleitoral), retirar diversas certidões como de quitação eleitoral, além de buscar o endereço do local onde vota (zona eleitoral), entre outras opções.

No caso de Venaninho, após clicar no link Situação eleitoral, o cidadão pode verificar se ele tem alguma pendência (multa, cancelamento de título, etc) com a Justiça Eleitoral. A pesquisa pode ser feita mediante Consulta por nome (basta digitar: José Venâncio Correa Filho) ou Consulta por título (ou digitar: 177082211163).

Certidão mostra que Venâncio não poderá votar e nem ser votado em 2020

Pesquisa Ibope aponta Duarte e Braide no segundo turno

A pesquisa Ibope desta segunda-feira (21), divulgada pelo grupo Mirante, confirmou algo já cravado na disputa eleitoral de São Luís: o pré-candidato a prefeito pelo Republicanos, Duarte, estará no segundo turno com Eduardo Braide (Podemos).

Adversário de peso, Duarte se mantém como um grande articulador, levando ao seu lado uma diversidade de personalidades políticas, entre elas o deputado federal Zé Carlos e o secretário Jowberth, ambos do PT, que, contrariando a direção nacional do partido, resolveram declarar apoio ao pré-candidato.

Outra personalidade da política local que também, por acreditar em um projeto melhor para São Luís, declarou apoio a Duarte, indo na contramão da legenda, foi Lorena Macedo, do PSL. Aliás, PT e PSL, que têm polarizado a política nacional, chegam ao mesmo palanque para mostrar que Duarte tem o necessário para a cidade: mais do que ideias, efetividade com resolução de problemas.

Deputado mais votado da história de São Luís, com mais de 65 mil votos, conta ainda com partidos como PL, Avante, Patriota e o PTC, além de mais de 200 postulantes ao Legislativo Municipal.

Público na decisão entre Moto e Sampaio não é liberado

Não teremos público nos dois jogos decisivos entre Sampaio e Moto pelo Campeonato Maranhense.

Reunidos nesta tarde, o governador Flávio Dino e o secretário de Esporte e Lazer, Rogério Cafeteira decidiram que vão aguardar mais um pouco para decidirem se liberam ou não a presença de público nos estádios.

Rogério Cafeteira adiantou que embora a Prefeitura do Rio de Janeiro já tenha autorizado a presença de público nos jogos, apenas no Maracanã, ainda não existe uma definição sobre quando isso ocorrerá.

Na verdade, em nenhum local do país foi autorizada até o momento a volta do público aos estádios.

Na semana passada, a Confederaçào Brasileira de Futebol (CBF) enviou um estudo de retorno de público nos estádios para o governo Federal, mas até agora não obteve retorno.

Baseado em tudo isso, o governo do Maranhão decidiu esperar mais um pouco para dar sinal verde para a presença do público nos estádios.

Sampaio e Moto decidem o Campeonato Maranhense em dois jogos. O primeiro será nesta quarta-feira (23), às 20h30 e o segundo, no sábado (26), às 19h, ambos no Estádio Castelão.

Globo cancela entrevistas e debates terão só 4 candidatos

De acordo com comunicado interno divulgado nesta segunda (21) pela direção de Jornalismo da Globo, com as restrições impostas pela pandemia, a Globo decidiu que só fará debates no primeiro turno das eleições municipais onde houver acordo entre os partidos para que apenas os quatro mais bem colocados candidatos na pesquisa eleitoral mais recente (Ibope ou DataFolha) participem dos debates. Pelos mesmos motivos, as entrevistas em estúdio com os candidatos também não serão feitas.

Abaixo o comunicado com todos os detalhes, no qual a Globo garante uma cobertura das eleições ainda mais extensa que em anos anteriores, com assuntos temáticos, abordando com mais intensidade aqueles de maior interesse do público revelados por pesquisas:

“Desde o início da pandemia, a Globo tem se esforçado ao máximo para esclarecer o público sobre como evitar o contágio pelo coronavírus. Como prestam um serviço essencial, seus jornalistas não pararam de trabalhar, mas seguem um rígido protocolo para evitar ao máximo que adoeçam.

No planejamento para cobrir as eleições municipais, acreditou-se que o país chegaria a outubro com taxas de contágio sob controle, o que, infelizmente, não ocorrerá. Há outro aspecto: o elevado número de candidatos a prefeito em quase todas as cidades, como Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, para citar apenas três, com dez ou mais candidatos. Isso impõe grandes desafios.

Para se ter uma ideia, com dez candidatos, considerando que cada um possa ser acompanhado de apenas dois assessores (no passado esse número era superior a dez), haveria 30 pessoas ligadas às campanhas no estúdio num debate de primeiro turno. Acrescentando a equipe da Globo minimamente necessária para realizar o evento com qualidade, esse número supera 200 pessoas, incluindo jornalistas, câmeras, produtores, profissionais da sala de controle técnico, tecnologia, comunicação, operações e segurança (num debate normal, com plateia e convidados, é o dobro disso). Não há protocolo sanitário que garanta a saúde aos profissionais da Globo e aos candidatos.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Além disso, a severidade da legislação eleitoral não permite que a Globo possa exigir que sejam cumpridas as medidas de precaução (realização de certo número de testes necessários anteriores ao debate, afastamento entre as campanhas no estúdio, respeito aos espaços delimitados pelos painéis de acrílico, posicionamento no estúdio, uso de máscara o tempo todo por assessores). Também não permite que o candidato seja impedido de participar do debate ou dele afastado caso não cumpra as medidas. Isso é grave. Recente ato oficial em Brasília mostrou que, mesmo medidas de precaução, como painéis de acrílico separando autoridades, uso de máscaras e presença limitada a um mínimo, não evitaram que um surto fosse atribuído ao evento.

A alternativa de fazer um debate de forma remota não é possível. Os candidatos precisam ser tratados de forma equânime e ter as mesmas condições, e o público precisa perceber isso. Um candidato pode injustamente ser acusado de estar com ponto eletrônico, de estar recebendo ajuda de assessores, por exemplo. A transmissão pode cair num momento importante do debate, e a Globo ser injustamente acusada de ser a culpada ou, da mesma forma, e também de forma injusta, o candidato ou sua campanha serem acusados de terem provocado a interrupção para fugir de um momento difícil.

Por tudo isso, a Globo decidiu que só fará debates no primeiro turno onde haja acordo entre os partidos para que apenas os quatro mais bem colocados candidatos na pesquisa eleitoral mais recente (Ibope ou DataFolha) participem dos debates. A Globo vai lutar por esse acordo. O debate de segundo turno permanece com a data prevista.

Da mesma forma, as entrevistas em estúdio com os candidatos também não serão feitas. A característica dessas entrevistas é terem tempos iguais para todos e mesmo grau de dificuldade. São feitas em muitos dias consecutivos, com os candidatos sentados próximos dos entrevistadores e dos câmeras. E os candidatos comparecem a elas com assessores. É impossível conhecer o nível de exposição de candidatos ao vírus durante uma campanha. Não se pode garantir como interagem com os eleitores nas ruas. Os estúdios da Globo são ambientes altamente controlados para evitar contágio de seus profissionais. O risco de submeter suas equipes ao coronavírus por dias seguidos de contatos com candidatos em permanente exposição às ruas é muito alto. Pelas mesmas razões elencadas sobre debates, não é possível realizá-las de maneira remota.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Essas medidas são válidas para todas as quatro emissoras Globo (Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Recife onde há eleições) e recomendadas a todas as suas afiliadas, que seguem o mesmo protocolo.

Fora esses pontos, a Globo fará uma cobertura das eleições ainda mais extensa que em anos anteriores, com assuntos temáticos, abordando com mais intensidade aqueles de maior interesse do público revelados por pesquisas, esmiuçará os planos dos candidatos, a viabilidade deles e como pretendem alcançá-los, os pontos polêmicos de cada candidatura, ouvindo diariamente os candidatos sobre os temas abordados, mas de forma segura. E divulgará pesquisas eleitorais do Ibope e/ou DataFolha.

O jornalismo fará o que tem feito ao longo de toda essa pandemia: oferecer informação de qualidade, mas seguindo todos os protocolos sanitários. E precisa dar o exemplo. Não pode cobrar dos outros o que não faz para si.”

G1

Othelino Neto ignora convenção do próprio partido em São Luís e foge para interior

Por fidelidade a Weverton, presidente da Assembleia tomou uma posição constrangedora ao PCdoB na capital, desprestigiando o maior colégio eleitoral do estado

Othelino Neto é um deputado do PCdoB que só obedece comando de Weverton, presidente do PDT no Maranhão

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), tem dado sinais cada vez mais claros de que quer evitar contrariar o  senador Weverton Rocha (PDT), em São Luís, com quem mantém relação de confiança.

Othelino sabe que o senador tem a capital como referência. Foi aqui onde Weverton começou os primeiros passos na política, conquistou o mandato de deputado federal e consagrou a carreira como senador.

O problema, entretanto, é que na disputa pelo comando do Palácio La Ravardiere – sede da prefeitura de São Luís, o pedetista resolveu apoiar o deputado Neto Evangelista (DEM), que passou a ser adversário do candidato Rubens Júnior (PCdoB), filiado ao mesmo partido do presidente da Assembleia Legislativa.

VEJA TAMBÉM:
Por fidelidade a Weverton, Othelino fica “em cima do muro” com apoio ‘incubado’ a Neto Evangelista

No último domingo, dia 13 de setembro, para comemorar o apoio do PT ao projeto majoritário na capital, o PCdoB realizou sua convenção partidária para homologar os nomes de Rubens e Honorato como candidatos a prefeito e vice. Quase todas as lideranças de peso do partido marcaram presença no ato, com exceção do governador Flávio Dino que deve ficar neutro no primeiro turno da eleição.

Uma das ausências mais notadas e comentadas, foi justamente a de Othelino Neto que optou por participar de convenções no interior, para se  esconder das cobranças dos colegas de partido, que veem no comunista uma postura “covarde e infiel” à própria legenda.

Para Othelino, convenção de Zezildo em Santa Helena foi mais importante que a de Rubens em São Luís

A posição de Othelino Neto é mais uma humilhação ao PCdoB, do governador Flávio Dino, pois por fidelidade a Weverton, o dirigente do Palácio Manuel Beckman preferiu adotar uma postura constrangedora ao próprio partido.

Quem atua na política sabe que um engajamento na campanha do maior colégio eleitoral do estado terá peso no resultado da corrida de 2020 com reflexo, inclusive, em 2022. É justamente por isso, que o chefe do Legislativo estadual pode sofrer um ‘baque’ sem precedentes na correlação de forças que sustenta seu projeto politico.

Enquanto ele se acovardou, o deputado Josimar de Maranhãozinho não se intimidou e avançou nos municípios da Grande Ilha e até mesmo na capital, principal base de Weverton. Além disso, o presidente regional do PL também vem recebendo uma adesão maciça de vários deputados que estão com mandatos na Casa de Leis que hoje é presidida por  Othelino, mas pode ter um novo comando a partir de 2022.

A fidelidade a Weverton é tão grande, mas tão grande que o comunista só participou de convenção do PCdoB nas cidades onde o PDT resolveu formar alianças. Um exemplo disso foi Imperatriz, onde o Professor Marco Aurélio homologou sua candidatura majoritária com uma chapa formada por PCdoB, PSB, Solidariedade, PT e PDT.

E, por falar em PDT, o saudoso Leonel Brizola tem uma frase que resume bem a vergonhosa postura do parlamentar comunista: “A política ama a traição e odeia o traidor”

Em São Luís, Weverton não deixou Othelino apoiar o PCdoB. Mas, em Imperatriz onde PDT apoia PCdoB, o presidente da Assembleia obteve a liberação do senador para apoiar Marco Aurélio

Venancinho está com título de eleitor suspenso em Bacabeira, diz TSE

Venancinho homologa candidatura, mas não pode votar nem nele mesmo (Foto: Reprodução)

O sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aponta que o ex-prefeito José Venâncio Correa Filho – o Venancinho (DEM), candidato à Prefeitura de Bacabeira nas eleições deste ano, está com o título de eleitor suspenso.

A consulta foi feita pelo blog na manhã da última terça-feira (15) e atualizada hoje, cinco dias após a convenção do DEM confirmar os nomes de Venancinho e Tchabal como candidatos a prefeito e vice no município. O motivo da suspensão não é informado no site.

Site do TSE mostra que título de candidato a prefeito de Bacabeira pelo DEM está suspenso (Foto: Reprodução/TSE)

A informação foi confirmada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), por meio de uma certidão, mas o órgão não esclarece detalhes sobre a suspensão. O blog apurou que um dos motivos pode ter sido devido ao prazo para regularização do título, que foi perdido, em decorrência de condenação pela justiça estadual prolatada no período de recadastramento biométrico, razão pela qual o ex-prefeito bacabeirense teve seus direitos cassados.

A suspensão traz várias consequências na vida política do candidato a prefeito do DEM em Bacabeira impedindo até mesmo de registrar candidatura e concorrer às eleições. Esse é apenas um dos fatos que comprovam a inelegibilidade de Venancinho. O outro é a confirmação do nome do ex-prefeito na lista dos ‘fichas sujas’ que o TCE deverá encaminhar à justiça eleitoral, mas esse é um assunto para a próxima matéria.

IMPUGNAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO

Como advogado, Venancinho sabe que não poderia ser candidato, pois sabe que assim que registrar a candidatura, pode ser impugnada pelo Ministério Público Eleitoral. O objetivo dele, entretanto, era apenas recompor o grupo ou o que restou dele.

Sem poder concorrer no pleito de 15 de novembro, o ex-prefeito prepara um plano: ser substituído por outro nome. Ele tem algumas opções como do ex-prefeito Alan Linhares (PCdoB), do irmão Werbeth Pinheiro –  o Pinheirinho e do próprio filho, Vinicius. Por sinal, o herdeiro do candidato democrata, inclusive, andou curtindo o último feriado com o candidato a vice na chapa do pai, dando sinais de que pode mesmo ser a opção número 1.

Certidão atualizada hoje mostra que Venâncio não poderá votar e nem ser votado em 2020

O QUE DIZ A LEGISLAÇÃO?

O título eleitoral pode ser suspenso quando o eleitor esteja em cumprimento do serviço militar obrigatório (conscrito); tenha sido condenado criminalmente com sentença transitada em julgado, condenado por improbidade administrativa ou declarado incapaz para os atos da vida civil (incapacidade civil absoluta). Em tais situações, não poderá votar enquanto durarem os efeitos, tendo os seus direitos políticos suspensos.

COMO REGULARIZAR?

Para requerer a regularização de título eleitoral suspenso, o eleitor deve encaminhar seu pedido de restabelecimento de direitos políticos por meio do Requerimento ao Cartório Eleitoral Virtual, ao cartório da inscrição.

O pedido de restabelecimento solicitado a partir de 30 de junho terá efeito somente na certidão de quitação eleitoral. A reativação do título eleitoral suspenso ocorrerá somente após as eleições (a partir de 9 de dezembro de 2020). No entanto, para quem quer ser candidato nas eleições deste ano, o prazo de regularização deveria ser até o dia 4 de abril, conforme a legislação em vigor.

Nota: a matéria foi publicada às 18h30 dessa quinta-feira (17), mas foi atualizada às 10h56 desta sexta-feira (18), para acrescentar novas informações.

Convenção confirma nomes de João Martins e Magal como candidatos a prefeito e vice em Bequimão

Em convenção partidária histórica, realizada na noite desta terça-feira (15), na Fazenda Jacarerana, na cidade de Bequimão, os partidos MDB, PT, PSC, PV e PP oficializaram a candidatura de João Martins (MDB) à Prefeitura de Bequimão. Sidney Nogueira (Magal) compõe a chapa como vice.

João Martins (MDB) destacou a importância da união do grupo político comandado pelo atual prefeito Zé Martins. “Se for da vontade de Deus e o povo permitir, serei prefeito de Bequimão e farei o máximo de mim para servir nosso povo. Se eleito for, farei uma gestão participativa, ouvindo a população, conversando com o povo e trabalhando com responsabilidade”, frisou.

“Quero mandar um recado e dizer aos bequimãoenses que têm dúvidas com quem caminhar: venham pra cá! Aqui a gente respeita o povo. Eu já falei: quem for fraco, que se quebre. Aqui se trabalha com responsabilidade. É por isso que o povo está conosco, porque acredita no trabalho deste grupo”, destacou João Martins.

O ato político teve público estimado em mais de 2 mil pessoas, incluindo correligionários fieis ao grupo, além de novas adesões. Autoridades estaduais e municipais, lideranças políticas, comunitárias e religiosas, pré-candidatos a vereador, integrantes da imprensa local, regional e da capital maranhense estavam na convenção.

PRESTAÇÃO DE CONTAS COM O POVO DE BEQUIMÃO

Emocionado, o prefeito e presidente do MDB de Bequimão, Zé Martins, prestou contas de seu trabalho à frente da Prefeitura e destacou sua luta para reconstruir um município que estava em colapso quando ele recebeu em janeiro de 2013. “Todo mundo sabe como recebi o município de Bequimão: um município destruído, tanto na saúde, educação e infraestrutura. Na saúde, recebi uma Unidade Mista abandonada, sem médicos, sem medicamentos, com centro cirúrgico interditado há três anos pela Vigilância Sanitária.

Quem era internado naquela unidade de saúde tinha que levar um penico de casa, já que os banheiros eram sujos e entupidos. Até creolina foi colocada em cabeça de paciente. Hoje, graças à minha luta e ao compromisso da ex-governadora Roseana Sarney com o povo de Bequimão, temos um hospital de 20 leitos, funcionando 24h, com 18 médicos, em várias especialidades, com 5 ambulâncias funcionando, medicamentos na farmácia básica, profissionais qualificados e comprometidos com a saúde pública de Bequimão. Somos referência no Maranhão em saúde de baixa e média complexidade. Fomos premiados várias vezes”, disse Zé Martins, agradecendo também aos servidores que se empenharam no combate ao novo coronavírus.

Na educação, Zé Martins destacou os avanços e disse que ser prefeito é para homens sérios e comprometidos com o povo. “Nossos alunos andavam de de pau de arara (caminhão). Hoje, nossos estudantes vão para a escola em ônibus. Consegui 9 veículos escolares e acabei com os pau de arara. A educação de Bequimão teve a melhor nota do IDEB, bem à frente até mesmo da capital São Luís. Isso é compromisso, isso é trabalhar pensando no bem estar da população. Vou trabalhar até o último dia de dezembro, como sempre fiz, com dedicação e horando cada voto que recebi do povo de Bequimão, que acreditou em mim e me deu 2 mandatos”, destacou Zé Martins.

Para finalizar seu discurso, Zé Martins lembrou de como eram as estradas. “Nossas estradas vicinais eram ruins, estreitas. Quando vinha uma carro na contra mão, um tinha que entrar no mato para o outro passar. Hoje é bem diferente; já ampliei e construí mais de 400 quilômetros de estradas na zona rural, além substituir pontes de madeira por bueiras de concreto. Sou o prefeito que mais construiu poços artesianos em Bequimão.

Até desafio alguém mostrar qual outro prefeito fez mais por Bequimão do que eu. Ser prefeito não é um mar de rosas, minha esposa Vânia Martins sabe de minhas angústias. Governar no período da abonância é fácil, mas quero ver administrar na crise e manter tudo funcionando, como fiz nesses quase 8 anos de gestão”, finalizou Zé Martins, bastante emocionado ao falar da morte de Carlos Alberto. Sobre esse tema, ele garantiu ao público que irá cobrar das autoridades de segurança a apuração dos responsáveis pela morte de seu aliado, que foi classificado pelo prefeito como um homem trabalhador, respeitador e leal.

AUTORIDADES FIRMES COM JOÃO MARTINS

O evento político contou com a presença do prefeito de Guimarães, Osvaldo Gomes, que defendeu João Martins como o melhor nome para Bequimão. “João Martins tem história como um homem público, preocupado com o desenvolvimento da região do Litoral Ocidental Maranhense. Conheci João Martins através do programa Líder, implantado por meio do Sebrae, que qualifica e fortalece o empreendedorismo em nossa região, uma das mais pobres do Maranhão. Hoje tenho João Martins como um amigo, que ajudou Guimarães. É por isso que tenho certeza que João Martins é o melhor nome para Bequimão, pela sua experiência em gestão adquirida por onde passou”, disse o prefeito.

Quem também foi categórico ao falar da experiência de João Martins como gestor foi o presidente municipal do Partido dos Trabalhadores de Bequimão e companheiro de chapa, Sidney Nogueira (Magal). “João Martins é um homem qualificado, preparado, e é por isso que estamos juntos mais uma vez. Quando fechamos essa aliança em 2016 com o prefeito Zé Martins, já dizíamos que esta aliança não seria apenas para uma eleição, e a prova está aqui. Vamos caminhar juntos mais uma vez, com um só propósito: trabalhar para melhorar a vida dos bequimãoenses e fazer Bequimão cada vez melhor para se viver”, destacou Magal.

O deputado estadual Zé Inácio defendeu a aliança com o MDB, o nome de João Martins como candidato a prefeito e o fortalecimento do grupo político comandado pelo atual prefeito Zé Martins. “Desde que fechamos essa aliança em 2016, já dizíamos que seria uma parceria pra mais de 20 anos. Ganhamos em 2016 com Zé Martins e agora vamos ganhar novamente com João Martins e Magal. A política é para homens sérios e por isso que fazemos parte da família 15. Me coloco à disposição, para, a partir de janeiro de 2021, ajudar o povo de Bequimão com o João Martins prefeito. É necessário também que tenhamos vereadores comprometidos com o povo e com a gestão municipal”, finalizou Inácio, que também ressaltou a experiência exitosa de João Martins à frente de órgãos importantes como a Codevasf e Sebrae.

HOMENAGENS

A pedido de João Martins, o irmão Geovane Souza, da Igreja Assembleia de Deus, fez uma oração pedido sabedoria e proteção a Deus. No final do ato político, o Ancião da Igreja Adventista, Américo Queiroz, também fez uma oração, rogando por benção e agradecendo pelo momento vivido em Bequimão.

Também foi prestada uma homenagem ao saudoso líder quilombola, Carlos Alberto, que faleceu no último final de semana, vítima de um acidente, após vândalos destruírem uma ponte na estrada da comunidade Ariquipá. Lideranças quilombolas, como o professor Thito Fábio, Fábio Silva (Fabinho), Creuber Pereira, Francisco Macedo (Pinininho) o o irmão de Carlos Alberto, Clademir Reis Pereira, descreveram o poder de liderança de Carlos Alberto dentro das comunidades quilombolas, assim como sua luta pelo bem estar de seu povo. Carlos Alberto era pré-candidato a vereador. As lideranças quilombolas prometem manter firme a luta defendida por ele em prol dos mais humildes.