Prefeito faz parto dentro de ambulância e salva bebê

Fato ocorreu em frente ao posto de saúde de Bacabeira

O dia 28 de setembro de 2019, um sábado, vai ficar marcado por comoção e emoção para o prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo. Neste dia, o chefe do executivo santa-ritense que é médico, estava conversando com o editor deste blog, no pátio em frente ao Centro de Saúde Dr. Domar Brito Anceles, em Bacabeira, comentando com muito pesar e tristeza a notícia do falecimento da líder comunitária, Maria da Conceição Santos Duarte, conhecida por dona Concita, que havia sofrido um infarto fulminante durante uma apresentação no Centro de Convenções da cidade bacabeirense.

No momento em todos lamentavam a tristeza do falecimento da líder comunitária, um fato inusitado aconteceu para equilibrar o sentimento daquela triste data: uma ambulância do município de Nova Olinda que se deslocava para São Luís, estacionou em frente ao Centro de Saúde, pois uma mulher grávida começou a entrar em trabalho de parto e já não tinha mais tempo de chegar à capital maranhense.

Acostumado a salvar vidas, Hilton Gonçalo que é médico, ficou de frente com mais uma história emocionante de sua carreira profissional. Às pressas, o gestor colocou as luvas nas mãos e entrou no veículo para atender a gestante que acabou dando a luz dentro da ambulância. Após o parto, a criança recebeu os cuidados da equipe médica e de enfermagem da unidade de saúde e foi levada à mãe que estava bastante emocionada.

Dr. Hilton estava no município participando de celebração dos 1000 dias da gestão de sua esposa, Fernanda Gonçalo, à frente da Prefeitura de Bacabeira. Por conta dos fatos que ocorreram no dia, a chefe do executivo bacabeiurense fiou muita abalada e cancelou o evento.

Fernanda lamenta morte de líder comunitária e decreta luto em Bacabeira

Maria da Conceição Santos Duarte faleceu durante uma apresentação do grupo da qual era fundadora e presidente.

Parecia um dia normal, assim como em vários outros eventos, o Grupo de Idosos de Peri de Baixo (GIPA) foi chamado a fazer a sua apresentação pública. Todos a postos, em frente ao palco montado no centro de convenções da cidade, quando a presidente do grupo e líder comunitária, Maria da Conceição Santos Duarte, conhecida por dona Concita, deu o seu ultimo bom dia aos presentes.

Emocionada, dona Concita sofreu um infarto fulminante e não resistiu a mais aquela apresentação. Presente no local, médicos e enfermeiros da Secretaria Municipal de Saúde tentaram reanima-la.

O prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo que é médico, estava no local ao lado da esposa – prefeita de Bacabeira, Fernanda Gonçalo, que celebrava 1000 dias de governo naquela ocasião, também ajudou nos primeiros atendimentos, até que a vitima chegasse ao Centro de Saúde do município.

Minutos depois, veio a triste notícia: dona Concita havia mesmo falecido. Abalada e em solidariedade a família, Fernanda Gonçalo cancelou o evento que foi encerrado naquele mesmo momento.

Dona Concita foi sepultada, ontem, em Peri de Baixo, sob forte comoção. Grupos de idosos de vários povoados do município participaram do cortejo. Durante o velório, diversas autoridades políticas foram pessoalmente se solidarizar com os familiares.

Além do casal de prefeitos – Hilton e Fernanda Gonçalo estiveram presentes, secretários, vereadores, o presidente da Câmara, Elias Lima; a prefeita de Rosário, Irlahi Linhares que estava acompanhada de vereadores do município vizinho.

Um decreto do poder executivo bacabeirense estabeleceu três dias de luto na cidade. Familiares, disseram que dona Concita morreu feliz e fazendo o que mais gostava. Ela deixa o esposo – seu Zé Belisca, os filhos – Jane, Neudiane, Neuberte e o filho de criação – Daniel Mendes.

Astro de Ogum diz que não quer que assessor lhe defenda, apenas que fale a verdade

Em pronunciamento na tribuna Câmara de São Luís na manhã de ontem, o vereador Astro de Ogum (PL), fez uma série de esclarecimentos a respeito do episódio registrado na residência, durante uma operação da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), em sua residência no Olho d’Água, que culminou com a prisão de dois de seus assessores, por acusação do crime de estupro mediante fraude.

O parlamentar explicou que não tinha nenhum envolvimento com a ação policial, mas acabou sendo preso em flagrante, por posse de arma, em função de um revólver calibre 32 que foi apreendido em seu imóvel, durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão na Operação Constelação, na última quinta-feira (19).

Mesmo sem citar nomes, Astro de Ogum abriu seu discurso destacando que o que mais pesou em todo o processo midiático foi à declaração do delegado Armando Pacheco, superintendente da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), afirmando que o mesmo estava sendo acusado de crimes de pedofilia.

“Pesou-me muito, quando determinado delegado chamou o nome de pedófilo, foi angustiante, para qualquer pessoa que exerça a vida pública, e nem que não fosse da vida pública. Naquele momento, foi o que mais pesou, a entrevista daquele senhor, mas, posteriormente, usaram a imprensa para falar que não era mais investigado por pedofilia, mas, sim, por um crime tecnológico, um fake criado pelos meus assessores, porém, que nada tenho haver. Às vezes nem mesmo os pais sabem o que os filhos fazem, como posso saber e ser responsabilizado pelas atitudes dos meus assessores?”, indagou.

Em trecho do pronunciamento, o decano do legislativo ludovicense fez um rápido retrospecto de sua infância, enfatizando que mesmo com toda pobreza e dificuldade, era mais feliz e não sabia, porque só lutava para matar a fome da mãe e dos irmãos menores, ladrilhando como vendedor ambulante pelas ruas da cidade.

“Quando era pobre, mesmo sem ter o que comer, eu era mais feliz. Passados os acontecimentos, fazendo hoje uma análise mais fria, observo que meu único pecado, como forma de retribuir o presente que Deus me deu, trazendo-me aonde cheguei, vindo de onde eu vim, foi me dedicar e ajudar ao meu próximo”, enfatizou.

Por fim, o parlamentar voltou a fazer um relato da acusação, ratificou não saber do suposto delito cometido pelos assessores, negou qualquer envolvimento no crime e pediu que não quer que um assessor seu lhe defenda, mas que fale apenas a verdade.

“No mundo tecnológico eu tenho as minhas limitações, não me adequei ainda ao sistema tecnológico. Acredito que 90% já se atualizou, e se tem 20 ou 15% no mundo arcaico, acho que estou dentro desse número, porque ainda não me adaptei. Na tecnologia eu não tenho nada haver com essa história. Inclusive já pedir para os meus assessores que não me defendam de nada, falem a verdade, não quero defesa de assessor em hipótese alguma, somente que a verdade seja dita”, completou.

Ele evidenciou ainda que não irá baixar a cabeça, e que não quer ser olhado e voltou a dizer que não estava ali para ser tratado como vítima e nem que ninguém o olhasse dessa forma e concluiu dizendo que irá provar na Justiça a sua inocência.

“Aos meus opositores que comemoram em suas redes sociais, como alguns secretários de Governo, quero evidenciar que quem vê a barba do seu vizinho arder que bote a sua de molha. Eu não telho falcatruas. Sou perseguido pela minha história de vida e como trato o meu próximo. Não estou aqui na condição de vítima, e nem quero ser olhado por ninguém desta forma, digo, como vítima, apenas fico entristecido, restando-me, apenas lutar para provar minha inocência”, finalizou.

“Não estava embriagado”, diz laudo sobre motorista de acidente no Jaracaty

Um laudo do IML ao qual o Blog do Gilberto Léda obteve acesso nesta semana aponta que Victor Yan Barros de Araújo, 25 – motorista que perdeu o controle do veículo na Avenida Carlos Cunha, capotou e caiu num barranco, matando quatro pessoas que estavam em uma festa no local, além do próprio amigo, Mauriccio Andrei Soares -, não estava embriagado quando foi submetido a exame.

O acidente ocorreu por volta de 2h da manhã do dia 8 de setembro. Segundo o documento, o exame clínico do rapaz foi feito às 7h35 do mesmo dia.

Assinado pela médica legista Lívia de Melo Silva, o laudo, no entanto, aponta que ele não autorizou a coleta de sangue para pesquisa de alcoolemia.

No mesmo dia 8, a promotora Lúcia Silva Chagas, plantonista na 4ª Promotoria de Justiça Criminal da Capital, expediu parecer pela concessão de liberdade provisória do acusado. Mas pontuou em seu despacho que, além do relato policial apontando “hálito de álcool”, Victor Yan levava em seu carro um narguilé, um tipo de cachimbo de origem oriental.

Ele segue com prisão preventiva decretada, mas ainda está internado no Hospital São Domingos, em razão do acidente.

Alegria e prestação de serviços marcaram o aniversário de 25 anos da Vila Luizão

Uma vasta programação cultural e o oferecimento de serviços sociais e de saúde marcaram, neste último fim de semana, o aniversário de 25 anos de fundação da Vila Luizão, um dos bairros mais populosos de São Luís.

A festa foi organizada pelo vereador Marquinhos (DEM), tendo contado com o apoio da Prefeitura e de outros parceiros, como o presidente da Câmara Municipal, vereador Osmar Filho (PDT), e do deputado federal Pedro Lucas Fernandes (PTB).

As atividades tiveram início na manhã de sábado (21), com a realização de uma grande ação social nas proximidades da sede do projeto Viva Bem Mais, iniciativa idealizada pelo próprio Marquinhos e que já estabeleceu-se como uma importante ferramenta de inclusão social direcionada para a população de bairros da região do Grande Turu.

Foram realizados milhares de atendimentos na área social e de saúde. Também foram promovidos torneios, gincanas e outras atividades de entretenimento.

Vale destacar que a Vila Luizão, à pedido do vereador democrata, recebeu, antes da festa em comemoração ao seu aniversário de fundação, outros benefícios no setor da infraestrutura, como melhoramento e limpeza de vias: podagem de árvores; instalação de sinalização de ruas; dentre outros.

No sábado à noite, no campo de futebol que serve o bairro, a animação ficou por conta dos shows evangélicos de Bruno Martins, Naarã Aguiar e da banda Som e Louvor.

Já no domingo (22), também no campo da Luizão, o encerramento da programação aconteceu em grande estilo com os shows de Mara Pavanelly e Banda Mesa de Bar, que arrastaram uma verdadeira multidão.

“A Vila Luizão é um dos mais importantes bairros de São Luís. Sua história de fundação é bela, assim como a história de vida dos moradores, dos mais antigos aos mais recentes. Como vereador e morador do bairro, não poderia deixar que esta data passasse em branco. Agradeço o carinho dos moradores e o apoio que recebi dos amigos e parceiros”, disse Marquinhos.

Presente na programação do domingo, Osmar Filho parabenizou o bairro e seus moradores.

“Também parabenizo o vereador Marquinhos, que sempre foi um grande defensor de todos os bairros que integram esta região da cidade”.

Avaliação semelhante fez Pedro Lucas. “Os moradores compareceram, em massa, às atividades educativas, sociais e também aos shows. Prova da sintonia e respeito que eles nutrem pelo amigo Marquinhos”, disse.

“Antes tarde do que nunca”, diz Honorato sobre programa de obras em São Luís

Parlamentar falou ainda sobre descumprimento de leis e pediu uma reflexão da Câmara em relação a série de denúncias que tem pautado a Prefeitura

O vereador Honorato Fernandes (PT) elogiou, na sessão dessa terça-feira (24), a iniciativa da Prefeitura com lançamento do programa “São Luís em Obras”, que visa promover novas melhorias na área da infraestrutura urbana da cidade. No entanto, o parlamentar não poupou críticas ao Executivo Municipal, por conta da realização tardia de serviços na infraestrutura e pela “falta de compromisso” do secretário Antônio Araújo, titular da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), com a população ludovicense.

O líder do PT na Câmara, fez uso da tribuna da Casa, em dois momentos: no pequeno e grande expediente. No primeiro momento, seu pronunciamento no foi direcionado ao programa de obras, oportunidade em que parabenizou o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) pelos serviços de pavimentação das ruas e avenidas do bairro Cohatrac, região contemplada pelo pacote de investimentos, mas não deixou de ressaltar a realização tardia e oportuna das obras, tendo em vista o período pré-eleitoral.

“Antes tarde do que nunca. É diante desta frase que quero parabenizar o prefeito Edvaldo [Júnior] pelo início dos serviços de pavimentação, no Cohatrac, comunidade que há muito tempo reivindicava por estas obras. E gostaria muito de ter este mesmo olhar que tenho agora, faltando doze meses para a eleição, durante os sete anos de governo do pedetista”, disse.

As reclamações recorrentes acerca do não cumprimento dos compromissos firmados pelo secretário da Semosp, Antônio Araújo, com os vereadores ludovicenses também foi pauta do pronunciamento do parlamentar petista.

“Relatos acerca da falta de compromisso do secretário para com a população da nossa cidade têm sido recorrentes e alguns exemplos podem ser citados aqui, como quando o mesmo marcou de visitar uma determinada rua do bairro São Francisco, para tomar conhecimento da situação de uma galeria que estava entupida e não apareceu, tampouco, deu uma sequer satisfação. Reclamações como esta têm sido feitas não apenas pelo meu mandato, mas por muitos outros vereadores desta Casa”, destacou Honorato.

O parlamentar finalizou a primeira participação no plenário Simão Estácio da Silveira, afirmando que a falta de compromisso do titular da Semosp não o coloca à altura do cargo que ocupa.

“Portanto, tudo isso só me leva a concluir que o secretário Antônio Araújo não merecia estar na secretaria de obras. Não deveria estar sentado naquela cadeira, uma vez que o mesmo não tem honrado o povo de São Luís”, completou.

No segundo momento, já durante o grande expediente, o vereador que estava licenciado desde o final de julho e retornou ao exercício do mandato na última segunda-feira (23), elogiou o poder público municipal pela realização de mais uma edição da feira do livro, mesmo diante de todas as dificuldades.

“A feira quase vira bienal, mas que fruto de muita articulação, fruto da secretaria, do próprio secretário, da população e daqueles envolvidos diretamente com a feira do livro fizeram com que tivessem um calendário anual, que esse calendário fosse mantido e fortalecido uma atividade de valorização da leitura, da escrita e do aprendizado”, informou.

Outro ponto do pronunciamento do vereador foi em relação ao descumprimento de leis sancionadas pelo executivo ou promulgadas pelo legislativo. O parlamentar também voltou a abordar algumas questões relacionadas à prefeitura em a autorização da Câmara.

“Parabenizo todos os vereadores que lutam pelo cumprimento do que é definido por esta Casa, por meio de leis apresentadas e dizer que essa regra que queremos que tenha valor para fora também precisa ter valor para dentro. Que tenha valor quando se cumpra o que está determinado na LOM e na LRF, que é a necessidade de encaminhar para esta Casa o TRD, para esta casa autorizar e tomar conhecimento e dar conhecimento para a população de São Luís e não se fazer dentro de um gabinete escondido e esta Casa nem tomar conhecimento na proporção que deveria se ter”, desabafou.

Ao falar sobre o desrespeito às regras e da falta de autorização legislativa para algumas questões relacionadas à administração municipal, Honorato falou que em alguns casos, a Câmara só tomou conhecimento, após o encaminhamento de um projeto pedindo autorização de parcelamento de dívida para que o Executivo pudesse contrair um empréstimo.

“A gente tomou conhecimento quando apareceu aqui uma dívida de quase 90 milhões de reais para ser homologada, parcelada, com um parcelamento totalmente equivocado, distinto daquilo que está no TRD, no início deste ano para beneficiar o pagamento da empresa que cuida do lixo da cidade de São Luís. E não foi diferente, também, para resolver questões das empresas que trabalham na Semcas e Secretaria de Comunicação, logo, quem quer respeito se dar o respeito, estou de pleno acordo que nós devemos cumprir e cobra o cumprimento das leis desta Cidade, a começar pelo Executivo, assim me sentirei cada vez mais à vontade para me somar, e já me sinto a cobrança diante dos outros órgãos, das empresas e dos prestadores de serviços do município que deixam de muitas das vezes de cumprir com suas obrigações”, avisou.

O vereador finalizou seu discurso destacando denúncias que tem pautado a Prefeitura de São Luís como, por exemplo, um suposto pagamento de propina para liberação de pagamento a fornecedores da administração municipal.

“Vou trazer a esta Casa para que façamos uma reflexão sobre a série de denúncias que tem pautado a Prefeitura de São Luís, denúncias estas já ditas nesta Casa, vereador Penha, pelo vereador Beto castro, inclusive, de pagamento de propina para liberação de pagamento, e este é um enfrentamento que nós vamos ter que fazer. Porque quando o vereador Honorato ajudou a fazer o Carnaval, não se furtaram, por conta de uma disputa, de um debate político, de levar o vereador Honorato de prestar explicações ao Ministério Público. E o vereador Honorato assim que recebeu fez questão, de prontidão assim que recebeu, de levar toda a documentação, cheio de muito orgulho porque tinha a certeza e clareza da minha atitude, que foi de permitir que em 2017, o Carnaval de Passarela da cidade de São Luís ocorresse”, concluiu.

Advogado Thales de Andrade toma posse como auditor do TJD/MA

Na noite de terça-feira (24), o advogado Thales de Andrade tomou posse no Tribunal de Justiça Desportivo do Maranhão, ele atuará como auditor da Comissão Disciplinar. O TJD/MA é um órgão administrativo que discute e aplica a legislação desportiva em nível estadual que fiscaliza o futebol em suas respectivas jurisdições, no território Brasileiro. Entre suas atribuições está a determinação das normas para formação e fiscalização do futebol no estado, cada estado possui o seu próprio TJD, cujas decisões podem ser questionadas através de recurso ao STJD.

A Justiça Desportiva é especial, revestindo-se do que a Constituição denomina “interesse público”, ainda que seja uma entidade de direito privado. Da mesma forma que outros tipos de tribunal arbitral, a Justiça Desportiva não faz parte do Poder Judiciário. Quando se estabelece as regras para um torneio, as agremiações desportivas e os atletas devem respeitá-las e, caso isso não ocorra, devem ser julgados pelas comissões disciplinares, em primeira instância, e, em instância recursal, pelo Tribunal de Justiça Desportiva, responsável pelo desporto na sua região, podendo, eventualmente, apelar ao STJD – Superior Tribunal de Justiça Desportiva.

Thales de Andrade é um dos advogados mais bem conceituados do Maranhão, atuando na área criminal. Atualmente é coordenador do curso de Direito do Instituto Florence.

Sampaio inicia venda de ingressos com promoção

 

O Sampaio anunciou promoção nos preços dos ingressos para a decisão do Campeonato Brasileiro Série C,

O Tricolro enfrenta o Náutico, no Estádio dos Aflitos, neste sábado (29), às 16h e no Estádio Castelão, em São Luís, no outro domingo (5).

Para a partida de volta, os torcedores terão desconto de 50% nos ingressos em todos os setores. A venda terá início hoje (25).

Os lalores dos ingressos são os seguintes:

Setor 1 e 2 – R$ 20,00
Setor 3 – R$ 30,00
Setor 4 – R$ 35,00
Setor 5 (visitante) – R$ 30,00
Setor cadeiras – R$ 50,00

Locais: Torra Torra – Magalhães de Almeida, Total Fit – São Francisco, Celebration – Rio Anil, Celebration e WM – Tropical Shopping, Banca do Jorginho – Feira da cidade Operaria, Marcelo Surf – Cidade Operaria, Marcelo Surf – Cohab e Ki Fruta – Vila Luizão.

STF julga hoje tese que pode anular sentença de Lula na Lava Jato

Globo.com

(Foto: Kiko Sierich / Futura Press / Estadão Conteúdo)

O Supremo Tribunal Federal (STF) começa a julgar na tarde desta quarta-feira (25) se réus delatores e delatados devem apresentar alegações finais (última fase de manifestação) em momentos diferentes nos processos criminais em que houver delação premiada.

Essa questão processual levou à anulação da primeira sentença do ex-juiz Sergio Moro na Operação Lava Jato, a que que condenou o ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine a 11 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Desde o início da Lava Jato, a Justiça vinha dando o mesmo prazo para as alegações finais de todos os réus, independentemente de serem delatados ou delatores.

No dia 27 de agosto, a Segunda Turma da Corte decidiu que o caso de Bendine deve recomeçar porque, como réu delatado, o ex-dirigente deveria ter se manifestado por último.

Por um placar de 3 a 1, os ministros entenderam que Moro feriu o direito de defesa de Bendine ao abrir prazo simultâneo para a manifestação do delatado e dos delatores.

O que o plenário deve decidir

O caso julgado nesta quarta é o do ex-gerente da Petrobras Márcio de Almeida Ferreira, que pede a anulação de sua sentença com base nos mesmos argumentos usados pela defesa de Bendine. Ferreira foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro.

Outros condenados também entraram com pedidos semelhantes no Supremo para anular suas sentenças. Relator da Lava Jato no tribunal, o ministro Edson Fachin decidiu levar um pedidos ao plenário para que o entendimento sobre a questão seja uniformizado.

A decisão vale para o caso do ex-gerente, ou seja, não tem aplicação automática para outros semelhantes. Mas cria uma jurisprudência, uma interpretação, sobre o assunto no STF. Esse entendimento serve para orientar tribunais do país sobre que caminho seguir.

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também pediu anulação de duas condenações –a do triplex do Guarujá, caso pelo qual está preso, e a do sítio de Atibaia, caso pelo qual foi condenado em primeira instância. Fachin também é o relator.

O ministro Ricardo Lewandowski tem outros quatro pedidos semelhantes à espera de um posicionamento do plenário.

Um balanço da Lava Jato indicou que, se o entendimento da Segunda Turma for mantido pelo plenário, poderão ser anuladas 32 sentenças, envolvendo 143 réus condenados somente na operação.

Há ainda outros processos fora da operação que podem ser impactados pela decisão .

A decidir sobre a questão, os ministros podem modular a decisão, ou seja, restringir seus efeitos para casos específicos. Uma das hipóteses seria abarcar somente processos nos quais as defesas tenham levantado essa questão anteriormente.

Duarte visita Bairro de Fátima e Túnel do Sacavém

Neste último fim de semana, o deputado estadual Duarte Jr. realizou mais uma edição do projeto Deputado na Sua Casa para ouvir ideias, reivindicações, prestar contas e contar com a efetiva participação popular. As visitas aconteceram no Bairro de Fátima e Sacavém.

Em visita ao Bairro de Fátima, no sábado (21), a convite da moradora Lucilene Santos, o parlamentar e a comunidade dialogaram sobre segurança, ações sociais com serviços de saúde, cursos de capacitação para jovens e crianças, bem como sobre o caso do senhor Geraldo, que mantinha em sua casa mais de 40 cães em situação degradante.

Após atuação do deputado, oficiando os órgãos responsáveis para solucionar o problema, o idoso já foi resgatado e está com sua família no Piauí. Os cães seguem em grupos para castração na UEMA. A casa também tem sido lavada. A ação segue de forma gradativa para garantir o bem-estar animal e uma melhoria na qualidade de vida dos moradores vizinhos.

Lucilene disse estar grata pela atenção do deputado com sua rua. “Esse caso do seu Geraldo se arrastava há anos, somente depois que o deputado cobrou e fiscalizou, as ações aconteceram. Estamos muitos gratos pela atuação dele em nosso bairro e sabemos que vamos fazer muito mais”, ressaltou.

Já no Sacavém, no domingo (22), a moradora Maria Izabel Bogeá, conhecida como Bebel, reuniu a vizinhança para conversar sobre a cobertura da quadra da comunidade. De acordo com Bebel, o local é uma alternativa de acesso à cultura, onde são realizados eventos e as pessoas podem compartilhar momentos. Além, é claro, da prática esportiva – a quadra é o espaço onde escolinhas comunitárias incentivam os jovens a estudar, ter respeito, disciplina e seguir pelo caminho do bem. Os moradores também denunciaram a grave falta de saneamento básico que tem atingido a vida, a saúde e a segurança de todos.

De acordo com o deputado, a iniciativa busca mostrar que político não some depois de eleito. “Para servir bem ao interesse público, é preciso compreender a importância de compartilhar as angústias e necessidades daqueles que mais precisam. É preciso compreender também que estas pessoas, apesar de carentes de direitos, são os nossos verdadeiros e reais chefes. Afinal, o poder emana do povo”, disse o deputado.

Duarte afirmou também que vai acionar os órgãos responsáveis para garantir que a lei seja cumprida e que os direitos sejam respeitados nessas comunidades. “Vamos dar atenção às reivindicações e manter um diálogo direto com o demandante da visita. Como deputado, farei o papel de fiscalizar e cobrar solução para as demandas apresentadas e, se possível, destinarei emendas para auxiliar”, finalizou.

Fotos: Divulgação