Convenções partidárias movimentam fim de semana no Maranhão

Spread the love

PHOTO-2018-07-28-09-34-58

O fim de semana será marcado pelas duas principais convenções partidárias da disputa eleitoral de 2018. O MDB de Roseana Sarney e o PCdoB de Flávio Dino farão seus encontros partidários, que definirão as chapas majoritárias e proporcionais que disputarão o pleito de outubro. Os dois são os principais candidatos na disputa deste ano.

Roseana Sarney chega à sua convenção, que ocorre neste domingo, 29, no Espaço Renascença, das 9h às 17h, com mais partidos em sua base de apoio. A emedebista tem em sua base de apoio PV, PSD e PRP. O último declarou apoio a pré-candidata ao governo do Maranhão há cerca de uma semana, após desistência do ex-secretário de Saúde Ricardo Murad.

Por enquanto, Roseana Sarney tem os seus dois candidatos ao Senado já definidos: Sarney Filho (PV) e Edison Lobão (MDB). Eles participaram de todos os atos de pré-campanha da emedebista pelo interior.
O candidato a vice-governador de Roseana deverá ser anunciado oficialmente somente durante a convenção. Até o fim da noite de sexta-feira, 27, a vaga estava reservado ao PSC, que, após reunião da direção, apresentou os nomes do pastor Pedro Lindoso e o empresário Ribinha Cunha.

Quanto à proporcional, os partidos devem formar uma chapa tanto para a Câmara Federal quanto para a Assembleia Legislativa.

Comunistas
Flávio Dino e seu partido, o PCdoB, fazem sua convenção neste sábado, dia 28. Por lá, o comunista pretende reunir 14 legendas que estão em sua base de governo. A ideia é mostrar força política e também mostrar a todos os aliados que a chapa majoritária já está definida com Carlos Brandão como vice-governador e Weverton Rocha e Eliziane Gama como candidatos ao Senado.

Do ponto de vista legal, gera somente dúvida na chapa comunista o nome do vice-governador Carlos Brandão, que assumiu até dia 9 de abril o cargo de governador durante uma viagem de Flávio Dino aos Estados Unidos. Existe debate jurídico entre os especialistas da área.

Há quem acredite que ele assumiu o governo em período vedado e somente poderia ser candidato a governo. Outros dizem que há jusrisprudência no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que permite ao vice do comandante do Executivo assumir o cargo após 7 de abril.

Do ponto de vista dos apoios, a que mais recebe resistência é a pré-candidata Eliziane Gama. Ela não é aceita pela maioria dos partidos que apoia a reeleição de Flávio Dino. O principal partido do arco de aliança do comunista, o PT, declarou abertamente em seu encontro estadual que não fará campanha para a pepessista. Outros partidos como DEM e PP também fazem resistência a Gama.

Proporcional já definida

Depois de muito debate, o grupo de Flávio Dino fechou as composições para as eleições proporcionais. Foram feitas duas chapas e mais o PT sozinho para o disputa de deputado federal. E duas chapas e mais o PT e o Solidariedade sozinhos para deputado estadual.

Para a Câmara Federal, formarão a primeira chapa PCdoB, PSB, PRB, PROS, SD, PEN, PTB, DEM, PTC, PPS e PPL e a segunda PDT, PR e PP. Para a Assembleia Legislativa, ficam juntos PCdoB, PDT, PTC, PR, PP, DEM, PRB e PSB. Na outra chapa para deputado estadual, ficaram PEN, PPS, PROS, PTB e PPL.

PSDB segue com a chapa indefinida

O PSDB fará sua convenção dia 4 de agosto, penúltimo dia do prazo estabelecido no calendário eleitoral. Serão confirmadas as candidaturas do senador Roberto Rocha ao governo do Maranhão. Por enquanto, não há definição do nome do candidato a vice-governador. Segundo Rocha disse a O Estado, o nome deverá vir da Região Tocantina. As conversas ainda estão em andamento.

Já para o Senado, uma das vagas de candidato ainda não foi definida. A primeira vaga é do deputado Alexandre Almeida, que vem fazendo pré-campanha ao lado de Roberto Rocha desde que o deputado se filiou ao PSDB.
A outra vaga está sendo disputada pelos deputados federais José Reinaldo Tavares e Waldir Maranhão. O primeiro perdeu o direito de ser o candidato depois que declarou que apoiaria a eventual candidatura de Eduardo Braide ao governo estadual. Com isto, Roberto Rocha passou a fazer a sua pré-campanha ao lado de Waldir Maranhão, que acabou sendo posto como outro pré-candidato a senador pelo ninho tucano.

PSTU foi o 1º partido com candidato no MA

Partido confirmou as candidaturas de Ramon Zapata para o Governo do Estado, Nicinha Durans como candidata a vice-governadora e Saulo Arcangeli e Preta Lu como os candidatos ao Senado pela sigla.

Sem problemas para confirmar a chapa, os ultraesquerdistas mantiveram o discurso de que o poder deve ser exercido pela classe trabalhadora. “O orçamento atual do estado, que atualmente está em torno de R$ 20 bilhões, tem que ser discutido com o conjunto da classe trabalhadora. Por isso, nós vamos construir os comitês populares”, disse Zapata.

Depois do PSTU, seria a vez do PSL, que faria convenção dia 28. No entanto, por conta de articulações para novos apoios, o partido mudou a data para o dia 5 de agosto. Na convenção do partido do presidenciável, Jair Bolsonaro, serão confirmados os nomes de Maura Jorge ao governo e Samuel de Itapecuru para o Senado.

Por enquanto, não há definição do nome do vice do PSL. As negociações passam pela Região Tocantina, como vem ocorrendo com Roberto Rocha do PSDB. Maura Jorge chegou ter a possibilidade de entrar na disputa eleitoral com nove partidos que incluiria até o PMN, do deputado estadual, Eduardo Braide. No entanto, as composições não foram possíveis devido a problemas para nas negociações para compor as chapas para as eleições proporcionais.

Além do PSL, ainda falta fazer convenção o PSOL. O partido se reunirá dia 2 de agosto para confirmar os nomes da chapa majoritária para as eleições de outubro. A composição é Odívio Neto candidato ao governo, professora Maria Helena Viana vice-governadora, Saulo Pinto e Igor Bruno como candidatos ao Senado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *