Othelino mantém sonho pelo Senado, mas reeleição ilegítima na Assembleia põe em xeque o futuro politico

Spread the love
Prestes a reassumir cargo ilegítimo, presidente da Alema alimenta desejo pelo Senado com vitória magra de Erlânio (Foto: Reprodução)

Com a reeleição do prefeito de Igarapé Grande, Erlânio Xavier (PDT), para o comando da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PcdoB), voltou a alimentar o sonho de disputar o Senado em 2022.

Logo após o resultado da entidade municipalista, o grupo que apoiou o projeto vitorioso da Famem, encheu a ‘cara de cana’ para comemorar a vitória magra. Num dado momento, Othelino Neto, que por enquanto, exerce uma liderança natural por presidir o Poder Legislativo, revelou o desejo de alçar voos mais altos nas próximas eleições estaduais.

O parlamentar comunista, entretanto, só esqueceu de avisar aos correligionários apenas um detalhe que é considerado gravíssimo: chegará ao 2º mandato à frente do Palácio Manuel Beckman no próximo mês de fevereiro pela força do ‘truque’ travestido de procedimento.

VEJA TAMBÉM:

Assembleia Legislativa ‘legalizou’ desrespeito às normas constitucionais

Relator revela divergências em projeto que antecipou reeleição de Othelino Neto

Eleição antecipada na Assembleia do Maranhão pode ter sido inconstitucional

Antecipação de eleição na Assembleia tem ‘cara de truque’ travestido de procedimento

Por conta disso, a antecipação da ‘reeleição ilegítima’ pode ser anulada na Justiça se houver flagrante ilegalidade. Ou seja, além de colocar em xeque o futuro politico de Othelino, a situação lembra o dito popular “quem tem com que me pague, não me deve nada”.

Para isso ocorrer, vai depender do grau de interesse do Republicanos ou PL, ambos com representação na Casa do Povo, no Sítio do Rangedor, em provocar o judiciário para análise de constitucionalidade da norma que permitiu a ilegal antecipação do pleito interno do parlamento estadual.

Se isso acontecer, além da possibilidade da anulação da antecipação de uma eleição interna, sem previsão constitucional, um novo processo para escolha de membros da Mesa Diretora iria impedir Othelino de disputar a reeleição dentro da mesma legislatura, conforme decisão majoritária do STF. Esse, entretanto, será um assunto para a próxima matéria. Aguardem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *