Nota em resposta ao ataque dos facínoras que tentam esconder a verdade sobre o candidato ‘ficha suja’ de Bacabeira

Spread the love

Por conta da correria do dia a dia, somente agora tive disponibilidade de tempo para responder as mensagens plantadas em grupos de wattshapp, acusando o titular deste blog de disseminar FAKES NEWS contra adversários políticos da prefeita Fernanda Gonçalo (PMN-33), que é a única ficha limpa na eleição municipal e a primeira mulher a comandar a Prefeitura de Bacabeira, órgão ao qual desde o primeiro semestre deste ano venho prestando serviço de comunicação.

Mesmo tendo sido usado um meio nada convencional, diga-se de passagem, típico de pessoas covardes, confesso que recebi com muita tranquilidade o material apócrifo. Para aqueles que conhecem a minha origem, o meu caráter e a minha trajetória de vida, sabem que essa manobra espúria não vai impedir de continuar fazendo meu trabalho a contento, mesmo que venha desagradar alguns ou a minoria.

De origem humilde e correndo em minhas veias o sangue pujante da raça negra, jamais poderia me furtar de travar um bom embate. Por isso sou daqueles que acredita que quando descemos para o campo de batalha, necessariamente, devemos levar dois sacos: um para bater e outro para apanhar. Mas, neste caso, o bom combate tem que ser com verdades e não com mentiras ou termos chulos de quem não consegue convencer com ideias e bons argumentos.

Em resposta aos ataques dos facínoras que tentam esconder a verdade que o blog vem publicando sobre o candidato ‘ficha suja’ do município, o editor desta página vem a público ESCLARECER:

1 – O termo ‘fracassado’ nem de longe faz parte do meu dicionário, muito menos do meu currículo, já que cheguei onde cheguei por fruto exatamente do meu trabalho,  da minha coragem e determinação, características que me são peculiares. Fracassados mesmos são aqueles que me atacam, que cresceram ‘mamando nas tetas’ da Prefeitura ou que passaram a vida toda sem construir uma carreira profissional e não conseguem mais sobreviver sem está atrelado ao erário municipal;

2 – Em relação a aquisição e troca de veículo, assim como todo brasileiro de origem humilde que ascende na carreira profissional, já que para isso labuto diariamente e de maneira árdua, ou seja, buscando um futuro melhor para mim e os meus, já o tinha adquirido antes mesmo de assumir a função de assessor. Tal aquisição foi feita com sacrifico, sendo paga mensalmente, pois não posso admitir que passe pelo mesmo constrangimento que aconteceu com uns e outros no município bacaberense, os quais também adquiriram bem móvel, mas depois que pararam de mamar nas tetas do erário público deixaram de pagar, sendo o veículo tomado pelo banco em ação judicial de busca e apreensão.

3 – Quanto à fama de ‘blogueiro famoso’ que já ganhou mais de ‘100 mil reais como  pedreiro’, irei ignorar, pois de tal denúncia não sou o alvo e, portanto, não posso me pronunciar a fim de defender direito de terceiro. Agora, é de conhecimento público quem são os personagens da politica bacabeirense que, sem profissão definida, mesmo de pedreiro, construíram mansões e um patrimônio duvidoso;

4 – Não tenho sede pelo poder, não abro mão dos meus valores e convicções para agradar quem quer que seja ou, ainda, para assumir cargos públicos de destaque para que possa me sentir mais importante do que realmente sou. Não tenho e nunca terei a pecha de traidor, inconfiável, covarde ou incompetente… Pelo contrário, esse ataque evidencia o quanto a minha capacidade profissional incomoda aqueles que acham que não podem e não devem ser incomodados temendo, por exemplo, perder mais uma eleição mesmo com todas as estratégias tacanhas e maliciosas que já foram definidas com o intuito de querer ‘tomar o pleito na marra’, já que não terão mais votos para vencer nas urnas por estarem desacreditados devido a ficha suja. Por isso, eles acreditam que podem fazer em Bacabeira o que foi feito em Mirinzal;

5 – Lamento que os “autores intelectuais” deste ataque partam da premissa que, enquanto jornalista, exercendo a função de um dos assessores de comunicação do município, cumprir com o preceito basilar de informar aos cidadãos bacabeirenses, muito bem esculpido no art. 5º, XXXIII da nossa Carta Magna – pautando e primando pela verdade -, receba como definição a nomenclatura de FACK NEWS;

6 – Continuarei, arduamente, escrevendo de acordo com as minhas convicções e dentro da legalidade, e todos aqueles que se sentirem prejudicados podem e devem bater às portas do  Poder Judiciário, pois como todos bem sabem, lá é a seara correta para dirimir conflitos quando em disputa interesses antagônicos;

7 – Além disso, continuarei, também, exercendo as minhas funções para o qual fui contratado, e cuja prestação de serviço atendeu aos princípios basilares do direito administrativo, tanto que os valores dos vencimentos encontram-se publicado no Portal da Transparência;

8 – E, para finalizar, ratifico que estou à disposição para os esclarecimentos necessários, já que o trabalho de assessoria de comunicação vem sendo efetivamente prestado, não só em Bacabeira, mas nas entidades para as quais presto serviço, razão pela qual não me enquadro na qualidade de funcionário fantasma ou coisa parecida.

Bacabeira, 24 de setembro de 2020.

Isaías Rocha

Jornalista, radialista, apresentador, palestrante, coach, assessor de comunicação e acadêmico do 8° período do curso de Direito da Faculdade Pitágoras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *