Othelino trai o próprio partido ao articular apoio de Wellington a Neto Evangelista

Spread the love

Com a saída de Madeira da disputa e adesão do secretário Jefferson Portela à candidatura de Rubens, o presidente da Assembleia é agora o único comunista ‘infiel’ nas eleições 2020

Apoio a Duarte poderia estremecer relação de Wellington com Othelino

Depois de ficar “em cima do muro” e ter fugido para interior visando ignorar a convenção do próprio partido em São Luís, o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), resolveu escancarar tudo e passou a colocar suas digitais na disputa eleitoral para beneficiar o candidato apoiado pelo senador Weverton Rocha (PDT) na capital.

Trata-se do tão aguardado apoio do deputado estadual Wellington do Curso (PSDB), que hoje convocou coletiva para avisar que vai seguir com o candidato Neto Evangelista (DEM), na disputa pela Prefeitura de São Luís, mesmo após o candidato democrata dizer que ele não tem seu respeito como gente.

Como todos já sabem, o apoio de Wellington a Evangelista teve como um dos principais articuladores o próprio Othelino Neto, filiado ao PCdoB que tem como candidato na disputa, o deputado federal Rubens Jr.

Wellington estava muito próximo de fechar com Duarte Júnior, que é candidato do Republicanos, partido do vice-governador Carlos Brandão. O acordo vinha sendo costurado pelo deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL).

O tucano, contudo, sabia que o movimento em torno de Duarte, se confirmado, poderia fechar as portas na Assembleia. Nos últimos anos, Wellington construiu uma sólida relação de amizade com o presidente da Casa. Tão sólida que o comunista chegou mesmo a dar suporte político à reeleição do colega em 2018 – mesmo com a desaprovação do Palácio dos Leões.

Wellington e Duarte já estavam sendo vistos em mesmo palanque eleitoral

Othelino, no entanto, apoia a candidatura de Neto Evangelista (DEM) na capital. E esperava um gesto de Wellington, que voltou atrás na relação com Maranhãozinho para cumprir o acordo com o chefe do Legislativo estadual que estava cobrando a fatura diariamente.

Do Palácio dos Leões, o governador Flávio Dino (PCdoB) apenas acompanhou a movimentação à distância e espera o fim das eleições para tomar as medidas necessárias. Entre tantas dúvidas, o desenrolar do caso trouxe uma resposta: A lealdade de Othelino por Weverton é maior que a confiança dele no Governo do Estado.

Com a saída de Madeira da disputa e adesão do secretário Jefferson Portela (Segurança) à candidatura de Rubens Jr, o presidente da Assembleia passou a ser o único comunista que não está integrado ao projeto do partido em 2020. Resta saber qual a postura o parlamentar vai adotar em 2022  no iminente racha entre PCdoB e PDT?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *